No peito e na alma !

No peito e na alma !

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Entenda por que o Santos não conseguiu derrotar o Vitória no Pacaembu

Peixe se mostra desorganizado e só consegue arrancar empate em 2 a 2 do segundo melhor visitante do Campeonato Brasileiro graças a um gol contra


Um time desorganizado na defesa e no ataque. Assim foi o Santos no empate em 2 a 2com o Vitória, na noite desta segunda-feira, em duelo da 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Diante de um rival que joga muito melhor quando é visitante, o Peixe não se achou no Pacaembu e só não saiu derrotado porque contou com a ajuda de Ramon, autor do gol contra que decretou o placar final.

Em resumo, isto foi o Santos:

O ataque não funcionou sem Bruno Henrique, vetado por questões físicas. As melhores jogadas vieram de cruzamentos isolados, não de lances trabalhados;

Copete jogou muito mal e contribuiu decisivamente para o primeiro gol do Vitória ao perder bola para Neilton;

A defesa, que começou o jogo como a melhor da competição e costuma ser o ponto forte do time, falhou duas vezes e se mostrou determinante para o resultado;

Lucas Lima jogou tão abaixo do que pode que deixou o gramado vaiado pela torcida.

Para um time que precisava vencer para reduzir a distância em relação ao líder Corinthians, ficou o resultado ruim e a impressão negativa para a reta final da temporada – já são dois jogos seguidos sem ganhar.


Time sente ausência de Bruno Henrique

Quem esperava por um Vitória fechado, à espera do Santos, logo entendeu por que o time baiano é o segundo melhor visitante do campeonato. A equipe dirigida por Vagner Mancini mostrou lucidez, paciência e qualidade, principalmente para contra-atacar.


Pressionado em seu campo de defesa e com posse de bola inferior (44% a 56%), o Peixe sofria por não ter Bruno Henrique – baixa devido a dores na panturrilha esquerda. Sem ele, Lucas Lima tentava exercer a função tática do atacante: abrir pela esquerda para receber e puxar o ataque. Faltou ao camisa 10, porém, ser mais vertical.


Função tática de Lucas Lima: faltou verticalizar as jogadas (Foto: GloboEsporte.com)

Faltou, também, Copete se adaptar ao lado esquerdo, onde ocupou a faixa de campo de Bruno Henrique. Acostumado a jogar pela direita, o colombiano se atrapalhou em alguns lances tolos, como no que originou o primeiro gol do Vitória. Ele perdeu para Neilton, que puxou o contra-ataque até a bola chegar a David.


Gol do Vitória! David recebe na área, dribla Vanderlei e abre o placar, aos 22 do primeiro tempo

Solução e drama pelo alto

O gol do primeiro empate santista, ainda no primeiro tempo, repetiu estratégia que funcionou contra Palmeiras e Ponte Preta: bola na área em direção a Ricardo Oliveira. A diferença, desta vez, foi que o camisa 9 não marcou. Jean Mota, com apenas 1,72 m, conseguiu subir mais do que Juninho (de 1,71 m) para cabecear.


Gol do Santos! Zeca cruza, e Jean Mota empata de cabeça, aos 35 do primeiro tempo

A arma que machucou o Vitória, porém, também feriu o Santos. Foi pelo alto que Wallace (1,84 m) ganhou de David Braz (1,88 m) para tirar do Peixe o posto de melhor defesa do campeonato – agora, são 19 gols sofridos, contra 18 do líder Corinthians.


Gol do Vitória! Neilton cruza, e Wallace cabeceia pra marcar, aos 19 do segundo tempo


Pouco antes desse gol, Levir tentara dar outra dinâmica ao seu time. Trocou Copete e Matheus Jesus por Serginho e Vecchio, respectivamente. Assim, jogou Jean Mota para a faixa esquerda de campo, deixou Serginho na direita e deu a Lucas Lima um parceiro para dividir a armação.

Como ficou o Santos após as duas primeiras substituições feitas por Levir (Foto: GloboEsporte.com)

O segundo gol do Santos, porém, nada teve a ver com táticas, substituições ou mudança de postura em campo. Veio de um gol contra bizarro marcado por Ramon, após cabecear contra a própria meta uma bola cruzada por Daniel Guedes.


Gol do Santos! Daniel Guedes cruza, e Ramon marca contra, aos 24 do segundo tempo

Na verdade, em momento algum o Peixe pareceu um time ciente do seu papel na partida. Com pouco mais de 20 minutos para buscar a virada, as tentativas de chegar à frente eram muito mais na base da vontade do que na técnica. Lucas Lima, vaiado pela torcida, parecia disperso. Foi quem mais errou passes na equipe: oito.

Levir ainda tentou trocar Jean Mota por Lucas Crispim. O último lance da partida, no entanto, retrata a noite infeliz do Santos. O próprio Crispim recebeu na esquerda e, ao cortar para dentro, adiantou a bola, perdendo a posse. Um fim de jogo melancólico para uma equipe que parece cada vez mais distante da briga pelo título.  Globoesporte

Santista cita frustração na briga por título e lamenta falta de artilheiro


O meia Jean Mota reconheceu que o empate contra o Vitória por 2 a 2, nesta segunda-feira, no estádio do Pacaembu, em jogo válido pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, frustrou o Santos em relação a briga pelo título. A equipe santista perdeu a chance de diminuir a vantagem do rival em 7 pontos.

O alvinegro praiano ficou a 9 pontos do líder Corinthians e na terceira colocação, com 49 pontos ganhos, o mesmo número de pontos do Grêmio, que soma duas vitórias a mais que o clube paulista: 15 contra 13.

"Fico um sentimento de frustração, sabíamos a importância do jogo, o Corinthians tropeçou. Teríamos que ganhar. Não fizemos um bom jogo, mas mérito ao Vitória. Não jogamos com um time qualquer, time rápido e boa proposta de jogo", afirmou Jean Mota no programa Bem Amigos, do SporTV.

Jean Mota substituiu o atacante Bruno Henrique, que desfalcou o time por conta de desconforto muscular. O meia marcou o primeiro gol de empate da equipe santista na partida, mas reconheceu que o companheiro, artilheiro do time na temporada, fez muita falta dentro de campo.

"Bruno Henrique é ume excelente jogador, vem em um bom momento. Eu fiz o gol, substitui o Bruno, mas minha característica é diferente, é mais armação. Ele ajuda bastante com gols, assistência, é um jogador muito importante para nós", disse.

Bruno Henrique é o artilheiro do Santos neste ano, com 16 gols marcados. Se não bastasse, o camisa 27 tem 10 assistências na temporada. Somente no Campeonato Brasileiro, ele marcou seis gols e deu nove passes para os companheiros balançarem as redes.

O empate do Santos contra o Vitória, por sua vez, mantém a invencibilidade do clube paulista no Pacaembu. Em 25 jogos, são 22 vitórias e três empates.

Após empate o Vitória, o Santos volta a campo diante do Sport, quinta-feira, às 21h (de Brasília), na Ilha do Retiro, em jogo válido pela 29ª rodada da competição. Uol 

Santos derrapa, empata com Vitória e perde chance de 'colar' no rival

Equipe de Levir Culpi errou muito e distância para o Corinthians ficou em nove pontos após o 2 a 2 contra os baianos. Torcida vaiou o time depois do apito final no Pacaembu


Sabe quando aquele seu amigo vem oferecer um negócio, seja carro, computador, bicicleta, você até se interessa, mas não quer comprar seja lá quanto for? Ele entrega pelo valor "x". Você recusa, diz que a situação financeira está ruim. Sensibilizado, ele, esperançoso, reduz para "y". Novamente, sua resposta é negativa, seguida de outra lamentação financeira. Você até teria o dinheiro com o desconto dado, mas não quer aquele investimento. Por fim, insistente que é, o amigo faz o ultimato reduzindo ainda mais, pedindo "z". Quase de graça. Sua resposta: "Olha, cara, realmente está barato, mas não vai dar". O amigo fica meio sem entender, e desiste, conformado. Pois bem: você, no Campeonato Brasileiro, é o Santos. Seu amigo é o Corinthians, que vem oferecendo a chance de título, mas o Peixe insiste em recusar. 

Nesta segunda-feira, a equipe do técnico Levir Cupi recebeu o Vitória no Pacaembu e precisava vencer para reduzir para sete pontos a distância do rival. Mas, outra vez, não fez dua parte, abusou dos erros e ficou apenas no empate, como já tinha sido contra a Ponte Preta: 2 a 2, com direito a gol contra dos baianos. 

Justiça seja feita, o Vitória até merecia melhor sorte. Além do gol que decretou o 2 a 2 ter saído de uma infelicidade do zagueiro Ramon, que fez contra logo após Wallace colocar o rubro-negro na frente, Neilton acertou uma bola no travessão. David, autor do primeiro gol, deitou e rolou nas costas de Daniel Guedes. Aqui, um parentêses: David é muito bom jogador. Rápido, habilidoso, pode ser ótima opção para os times grandes em 2018. Abre o olho! 

Do lado do Peixe, mais uma noite infeliz de Copete, que perdeu a bola de origem do gol de David. O colombiano criou pouco, como a equipe, e saiu entre (mais) vaias e aplausos. A paciência da torcida com ele já foi para o espaço. 

Mas o resultado ruim não pode ser creditado ao atacante. Além de enfrentar um adversário muito duro jogando como visitante - o Vitória venceu os últimos cinco jogos assim -, o Santos jogou pouco. A dupla de volantes errou demais. Ricardo Oliveira não aproveitou as poucas chances. Jean Mota, autor do primeiro gol santista no primeiro tempo, foi oportunista, mas pouco criativo. Faltou companhia a Lucas Lima. 

Para o Vitória, o empate contra o time de ponta de tabela pode ser considerado bom, ainda mais porque o mantém fora da zona do rebaixamento, com 33 pontos, um a frente do Z4. Já o Santos segue como o amigo que não quer fazer negócio, agora em 3º, com os mesmos 49 do Grêmio, mas duas vitórias a menos. Vai uma disputa de título aí? Não, obrigado! Lance

Santos sofre contra o Vitória, fica no empate e não encosta no Corinthians

O Corinthians perdeu para o Bahia no último domingo, em Salvador, e animou os santistas para a possibilidade de encostar na liderança do Campeonato Brasileiro. O único problema é que faltou combinar com o Vitória. Jogando mal, o Peixe viu o rubro-negro dominar boa parte do confronto e ficou apenas no empate em 2 a 2, na noite desta segunda-feira, no Pacaembu, pela 28ª rodada do torneio nacional.

A igualdade foi ruim para as duas equipes. Enquanto o Leão, com 33 pontos, segue coladinho na zona de rebaixamento, o alvinegro chegou aos 49, não encostou no Corinthians, que segue liderando com 9 pontos de vantagem, e ainda perdeu a segunda colocação para o Grêmio.

Na 29ª rodada, os santistas encaram o Sport, na próxima quinta-feira, às 21h (de Brasília), na Ilha do Retiro. No mesmo dia, mas às 20h, o Vitória recebe o Atlético-PR, em Salvador.


Santos sofreu para empatar em 2 a 2 com o Vitória, no Pacaembu (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Vitória dominando e placar igual
Mesmo jogando fora de casa, o Vitória não se intimidou e começou a partida colocando o Santos ‘na roda’. Aos 11 minutos, Yago cobrou escanteio na área, Vanderlei saiu mal do gol e quase o time baiano abriu o marcador.

Apesar do susto, o Peixe seguiu perdido dentro de campo. Nervoso e errando muitos passes, a equipe comandada por Levir Culpi viu o Leão chegar ao gol aos 22 minutos. Após erro de Copete, Neilton tocou para Tréllez, que mandou para Fillipe Souto. O volante rolou para David dentro da área. O atacante teve calma para driblar Vanderlei e estufar as redes do Pacaembu.

A desvantagem não acordou o alvinegro, que seguiu sofrendo para chegar ao ataque. Além disso, o Vitória continuou sendo mais perigoso. Aos 28, Uillian Correia mandou uma bomba de longe e Vanderlei faz bela defesa para salvar o Santos.

E o famoso ditado do ‘quem não faz toma’ crucificou o time baiano aos 35 minutos. Mesmo sendo completamente dominado no Pacaembu, o Peixe chegou ao empate após Zeca cruzar e Jean Mota desviar de cabeça para bater o goleiro Caíque.

O Vitória não sentiu o gol e foi pra cima novamente. No lance seguinte, Yago bateu colocado de fora da área e Vanderlei espalmou. Depois, Ramon mandou pra fora.

Já no último minuto da primeira etapa, Lucas Lima cobrou falta dentro da área e Ricardo Oliveira desviou. A bola passou raspando a trave, mas o duelo foi para o intervalo empatado em 1 a 1.

Jogo movimentado e empate persiste 
Completamente dominado na primeira etapa, o Santos voltou melhor após o intervalo. Logo aos seis minutos, Copete cruzou na cabeça de Ricardo Oliveira. O centroavante, porém, não testou com firmeza e Caíque defendeu.

A Leão não se intimidou e mostrou que seguia com o mesmo ímpeto do primeiro tempo. Aos 11, David aproveitou contra-ataque, cruzou na área e Neilton mandou uma bomba no travessão.

No lance seguinte, Wallace recebeu na área após cobrança de escanteio e chutou firme, obrigando Vanderlei a salvar o Peixe mais uma vez.

Aos 19 minutos, porém, o goleiro santista não conseguiu segurar o zagueiro do Vitória. Após cobrança de escanteio, Wallace ganhou de David Braz e cabeceou com força para fazer 2 a 1.

O tento silenciou o Pacaembu. Porém, quando parecia que o Santos sentiria a pressão, Daniel Guedes cruzou na área, Serginho furou e Ramon mandou contra a própria meta, deixando tudo igual.

O jogo ficou aberto e eletrizante em São Paulo. Aos 31 minutos, Serginho ganhou da zaga, avançou e arriscou de fora da área. A bola passou perto do gol de Caíque e quase o Peixe alcançou a virada.

Na reta final do confronto, o Vitória passou a jogar mais recuado, esperando um bom contra-ataque para tirar a vitória. O Santos, por sua vez, trocou passes e abusou dos cruzamentos pouco eficientes na área, decretando o empate em 2 a 2 no Pacaembu.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 2 X 2 VITÓRIA

Data: 16 de outubro de 2017, segunda-feira
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo
Horário: 20 horas (de Brasília)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Carlos Berkenbrock e Helton Nunes (ambos SC)
Público: 19.007
Renda: R$ 428.430,00
Cartões amarelos: SANTOS: David Braz, Alison. VITÓRIA: Caíque Sá, Wallace, Yago e Carlos Eduardo.

GOLS:
SANTOS: Jean Mota, aos 35 do 1T; Ramon (contra), aos 24 do 2T;
VITÓRIA: David, aos 22 do 1T; Wallace, aos 19 do 2T;

SANTOS: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison, Matheus Jesus (Vecchio) e Lucas Lima; Copete (Serginho), Jean Mota (Lucas Crispim) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Levir Culpi

VITÓRIA: Caíque; Caique Sá, Wallace, Ramon e Juninho; Uillian Correia, Fillipe Soutto e Yago (Patric); David (Danilinho), Neilton (Carlos Eduardo) e Tréllez.
Técnico: Vagner Mancini

Jean Mota deve ganhar a vaga de Bruno Henrique no Santos contra o Vitória


Meia supera a concorrência de Hernández e Arthur Gomes e deve ser improvisado na esquerda

Jean Mota deve ser o escolhido do técnico Levir Culpi para substituir Bruno Henrique, desfalque por um desconforto muscular, no duelo do Santos contra o Vitória, nesta segunda-feira, às 20h (de Brasília), no Pacaembu, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O treinador não esboçou o time nos treinos de sexta-feira, sábado e também na manhã deste domingo, mas avisou aos atletas sobre quem colocará em campo contra o time baiano.


Jean Mota deve ser improvisado na ponta esquerda (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Se for confirmado entre os titulares, Jean Mota supera a concorrência de Arthur Gomes e Vladimir Hernández e jogará improvisado na ponta esquerda.

Sendo assim, o Santos vai a campo com: Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison, Matheus Jesus e Lucas Lima; Copete, Jean Mota e Ricardo Oliveira.


Escalação provável do Santos contra o Vitória (Foto: GloboEsporte.com)

Vice-líder do Brasileirão com 48 pontos, o Santos está a dez do líder Corinthians.

Confira as informações do Santos para o jogo contra o Vitória:

Local: Pacaembu, em São Paulo
Data e horário: segunda-feira, às 20h (de Brasília)
Provável escalação: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison, Matheus Jesus e Lucas Lima; Copete, Jean Mota e Ricardo Oliveira
Desfalques: Bruno Henrique (desconforto na panturrilha esquerda), Renato (edema no tornozelo), Victor Ferraz (lombalgia), Gustavo Henrique (cirurgia no joelho), Matheus Ribeiro (lesão muscular na coxa esquerda) e Vitor Bueno (ruptura de ligamentos do joelho)
Pendurados: Vanderlei, Zeca, Alison, Daniel Guedes e Jean Mota
Arbitragem: Braulio da Silva Machado, auxiliado por Carlos Berkenbrock e Helton Nunes (todos de SC)
Transmissão: SporTV menos SP, Premiere e PFCI (com Odinei Ribeiro e Wagner Vilaron)

domingo, 15 de outubro de 2017

Copete reencontra sua maior vítima e espera quebrar jejum de gols no Santos


Contra o Vitória, rival de segunda-feira, atacante já marcou cinco vezes em três partidas

Adversário do Santos nesta segunda-feira, às 20h (de Brasília), no Pacaembu, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Vitória costuma sofrer quando o atacante Copete está em campo. Isso porque, nas três vezes que enfrentou o clube baiano, o colombiano sempre balançou as redes, e o Santos saiu de campo com o triunfo.

No último duelo entre as equipes, pelo primeiro turno do Campeonato Brasileiro, o atacante marcou os dois gols da partida, vencida pelo Peixe por 2 a 0, no Barradão.

Retrospecto de Copete contra o Vitória:
Três jogos
Três vitórias
Cinco gols
Uma assistência



Copete fez gols em todos os jogos que atuou diante do Vitória (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Sem marcar há 10 partidas, Copete espera voltar a balançar as redes contra sua maior vítima, ao lado do São Paulo, com cinco gols marcados, e projeta o duelo da próxima segunda.

– Tive a felicidade de fazer os gols e ajudar o Santos nesses jogos e espero que isso possa se repetir no Pacaembu. Vai ser um jogo difícil, mas estamos confiantes. Espero que a sorte esteja do meu lado novamente para poder ajudar a equipe a sair com mais uma vitória – disse o colombiano.

– Claro que todo jogador quer fazer gol, mas já falei muitas vezes que me preocupo com o coletivo primeiro. Só penso em deixar tudo em campo para sair com a vitória. Se for com gol meu, ótimo, mas se não der pra marcar e o time vencer, perfeito – completou.

Copete segue como vice-artilheiro do Santos na temporada, com 10 gols em 45 jogos, atrás apenas de Bruno Henrique, com 16. O colombiano também é o segundo jogador da equipe com mais gols no Brasileirão (5).


O Santos é o vice-líder do campeonato, com 48 pontos, dez a menos que o líder Corinthians, que entra em campo neste domingo, contra o Bahia.

Confira as informações do Santos para o jogo contra o Vitória:


Local: Pacaembu, em São Paulo
Data e horário: segunda-feira, às 20h (de Brasília)
Provável escalação: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison, Matheus Jesus e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique (Jean Mota) e Ricardo Oliveira
Desfalques: Renato (edema no tornozelo), Victor Ferraz (lombalgia), Gustavo Henrique (cirurgia no joelho), Matheus Ribeiro (lesão muscular na coxa esquerda) e Vitor Bueno (ruptura de ligamentos do joelho)
Pendurados: Vanderlei, Alison, Daniel Guedes e Jean Mota
Arbitragem: Braulio da Silva Machado, auxiliado por Carlos Berkenbrock e Helton Nunes (todos de SC)
Transmissão: SporTV menos SP, Premiere e PFCI (com Odinei Ribeiro e Wagner Vilaron)
Tempo Real: GloboEsporte.com, a partir das 19h

Perto de saída do Santos, Donizete é descartado pelo Atlético-MG

Leandro Donizete ainda não sabe onde jogará em 2018. Com pouco espaço no Santos, o volante não deve permanecer na Vila Belmiro na próxima temporada. Preocupada com o alto salário do jogador de 35 anos (R$ 300 mil), a diretoria do Peixe buscará um empréstimo ou tentará negociá-lo em definitivo no início da próxima temporada.

Ídolo no Atlético-MG, Donizete já teve seu nome vinculado ao time de Belo Horizonte nos últimos dias. Porém, se depender dos atuais dirigentes do Galo, o volante não será repatriado em 2018.

A Gazeta Esportiva apurou que o jogador não agrada atualmente. Mesmo sendo querido pela torcida, ele não é visto nos bastidores como um bom reforço no momento. O Atlético-MG que já viveu momentos críticos na posição, mas agora não tem problemas no setor.

O jogador deixou a capital mineira no começo de 2017 após várias tentativas do Galo em sua manutenção. O atleta queria três anos de renovação, já a agremiação mineira tentou uma, entendendo que ele já conta com idade avançada, depois subiu para mais um ano. Nem com a proposta de duas temporadas o atleta desejou a permanência, partindo para o Peixe.

Ídolo em Minas, Leandro Donizete não deve voltar ao Atlético-MG em 2018 (Foto: Ivan Storti/ Santos FC)

Donizete tem contrato com o Santos até 31 de dezembro de 2019. Pedido de Dorival Júnior no final do ano passado, ele chegou após não acertar sua renovação com o Galo, porém, nunca conseguiu engatar uma boa sequência de jogos no Peixe.

Apesar disso, o volante recebeu uma chance como titular no jogo mais importante do alvinegro no ano, contra o Barcelona de Guaiaquil, na Vila Belmiro, pelas quartas de final da Libertadores. Porém, o jogador de 35 anos foi um dos piores em campo na derrota por 1 a 0, que culminou com a eliminação da equipe no torneio continental.

Tempo, dinheiro e sonho: o que trava renovações de Lucas Lima e Oliveira

Referências do Peixe, camisa 9 e 10 têm contrato no fim e negociam renovações, no entanto, ciclo parece estar no fim e respostas não caminham para final feliz



A relação é de respeito. No Pacaembu ou na Vila Belmiro, o anúncio da escalação do Santos tem o volume aumentado no fim, quando Lucas Lima e Ricardo Oliveira têm seus nomes confirmados no jogo. A alegria de parte da torcida do Peixe tem a ver com o passado e com o presente de dois dos mais importantes jogadores do time, mas o futuro não parece animador.

Quando o assunto é a renovação de contrato do meia ou do atacante, surgem mais dúvidas do que certezas. Ambos têm as propostas do Alvinegro na mão, mas ainda não responderam por motivos diferentes.

Enquanto isso, o Peixe tenta, com a dificuldade de uma eleição no meio, planejar seu futuro. Com certo pessimismo quanto à permanência da dupla, possíveis reforços são avaliados. 

Os primeiros da lista são o argentino Damián Díaz e o uruguaio Jonatan Álvez, ambos do Barcelona de Guayaquil, algos do Santos na Libertadores.

Confira alguns pontos da negociação entre Santos, Lucas Lima e Ricardo Oliveira.

Lucas Lima


R$ 41 milhões divididos por 36 meses 
Salário gradativo, ou seja, valores aumentariam a cada ano de contrato
Mais três anos de vínculo, até o fim de 2020

Ricardo Oliveira


Prorrogação de mais um ano de contrato até o fim de 2018

Manutenção do salário (pouco mais que o teto salarial do clube - estipulado em R$ 200 mil)

O que os atletas desejam

Lucas Lima
Livre no mercado à partir de janeiro, meia pode assinar um pré-contrato e pedir ao clube interessado luvas maiores, justamente por não ter que ser comprado
Camisa 10 não negou que jogaria em um rival do Santos, além de não esconder sua vontade de jogar em um clube europeu
Na mira de times chineses, armador mudou o discurso e não vê o futebol asiático como má ideia, já que o técnico da Seleção Brasileira tem convocado atletas que atuam no país

Ricardo Oliveira
Desejo inicial era permanecer no Peixe por mais dois anos (até o fim de 2019). Oferta para estender vínculo por mais um ano não agradou o atacante


O que eles dizem

Lucas Lima
O Santos é a minha casa, estou feliz. Deixo a porta aberta. Se o Santos não me quiser, vou ficar desempregado? Futebol é dinâmico. Vou resolver a minha vida quando acabar o Brasileiro

Ricardo Oliveira
Estão ótimas (as conversas com o clube), acho que já tivemos um começo nisso. A única coisa que quero nesse momento, além de ter me sentido valorizado e respeitado, é voltar a me sentir importante e jogar

Lance

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

O que pensa Levir !??


Amigos Santistas, gostaria de entender o que se passa na cabeça de nosso técnico ?

Recentemente perdemos para o "fortíssimo" Barcelona do Equador porque nosso brilhante técnico entrou com dois volantes brigador (Alison e L. Donizete) para segurar o 0 x 0 e se classificar, jogando em casa na Vila Belmiro com todo cenário a favor e o que aconteceu....??

Hoje (12/10) jogando em Campinas-SP a tarde um calor infernal, segundo tempo a equipe pregada, normal são seres humanos, nosso brilhante técnico não faz nenhuma substituição, não coloca sangue novo, não coloca jogador descansado para ajudar os demais e apos o jogo faz a seguinte declaração.

“ Não mexi porque achei que poderíamos perder. Foi por isso. Fiquei feliz com o desempenho do time, mas chateado com o resultado”, resumiu o técnico no Moisés Lucarelli "

Mas obvio meu caro Levir, ja dizia o filosofo... "O medo de perder, tira a vontade de ganhar" como pode ser medroso desse jeito, acabar com o ano e afundar nosso Peixão ! Sinceramente Levir Culpi e Santos não tem nada haver, ainda bem que seu destino parece ser o Japão.

Naldo Faustino

Bruno Henrique sente dor muscular e preocupa o Santos para sequência

Artilheiro do time no ano com 16 gols e dez assistências pode ser desfalque nos próximos jogos. Atacante machucou a coxa direita no empate contra a Ponte Preta

O Santos ficou dois pontos mais distante do Corinthians e agora está a dez pontos do líder do Brasileirão. Mas este pode não ter sido o maior prejuízo desta quinta-feira. No empate com a Ponte Preta, Bruno Henrique sentiu dores musculares na perna direita e pode desfalcar o Peixe nas próximas rodadas.

O camisa 27 detalhou o que sentiu e vai fazer exames para saber a real gravidade.

- Foi uma disputa de bola no fim do jogo. Estiquei a perna demais e senti o músculo dar uma rasgada. Professor perguntou se queria sair, mas não tinha como. Agora esfriou e está doendo pouco mais. Vou fazer exame amanhã. Tomara que não seja nada - disse na saída do Moisés Lucarreli.

Bruno Henrique é o artilheiro do Santos no ano com 16 gols. Com o passe para Ricardo Oliveira marcar contra a Macaca, chegou a dez assistências na temporada. Lance

Levir Culpi não mexe no Santos e se diz satisfeito com atuação do time

Técnico não mexeu em seu time durante a partida e terminou os 90 minutos com os onze jogadores que iniciaram o jogo. Para o comandante, Peixe está vivo na briga pelo título



Em Campinas, o Santos não conseguiu vencer a Ponte Preta. Apesar de ter chegado ao empate no fim do primeiro tempo, o resultado acabou sendo ruim para as pretensões santistas para o título, mas o técnico gostou da postura do time durante a partida apesar do 1 a 1.

Sem voz, Levir Culpi respondeu a apenas três perguntas durante a sua entrevista coletiva, uma delas sobre não ter feito alterações em sua equipe. Para o comandante, seus jogadores estavam bem e não queria correr o risco de sofrer um revés no placar.

- Fiquei feliz com o desempenho do time, mas chateado com o resultado. Achei que se mexesse no time, poderíamos perder - afirmou Levir.

Embora tenha ficado chateado com o resultado, Levir Culpi não descartou o Santos da briga pelo título com o Corinthians. Segundo o treinador, ainda há esperança.

- Claro que o campeonato está aberto. Estamos vivo e temos chances ainda - finalizou.

O Santos volta a campo na próxima segunda-feira, às 20h, para enfrentar o Vitória, no Pacaembu, em jogo válido pela 28ª Rodada do Brasileirão-2017. Lance

Santos para em Aranha, empata com a Ponte e ajuda líder Corinthians

Desde a chegada de Levir Culpi, o Santos se notabilizou por jogar mais recuado e apostar nos contra-ataques. Nesta quinta-feira, porém, o Peixe adotou estilo semelhante ao que costumava ter com Dorival Júnior e dominou as ações contra a Ponte Preta, em Campinas. Apesar disso, a equipe de Vila Belmiro parou no goleiro Aranha e saiu do Moisés Lucarelli apenas com o empate em 1 a 1 no placar.

A igualdade foi ruim para as duas equipes. Enquanto a Ponte, com 32 pontos, segue coladinha na zona de rebaixamento, o alvinegro chegou aos 48, até manteve-se na segunda colocação, mas viu o Corinthians abrir 10 pontos na liderança.

Na próxima rodada, a equipe santista encara o Vitória, na segunda-feira, às 20h (de Brasília), no Pacaembu. A Macaca descansa, pois tem um jogo a mais na tabela.


O jogo – Precisando da vitória para não ver o Corinthians se distanciar na liderança, o Santos começou atacando. Logo aos 2 minutos, Lucas Veríssimo fez belo lançamento para Copete, que dominou mal, mas deu bom passe para Bruno Henrique dentro da área. O atacante bateu firme, mas a zaga cortou o perigo.

Porém, a chegou chegou no lance seguinte e foi fatal. Em cobrança de falta pelo lado esquerdo, Danilo cruzou, a bola bateu na mão de Lucca, Vanderlei espalmou muito mal e a bola ficou livre para Naldo balançar as redes. Os santistas reclamaram de infração na jogada, mas Raphael Claus validou o tento.

Com a vantagem, a Macaca recuou e viu o Peixe pressionar no Moisés Lucarelli. Aos 15 minutos, Matheus Jesus aproveitou sobra de escanteio e emendou uma bicicleta. A bola bateu na zaga pontepretana e saiu para escanteio. Gazeta Esportiva