quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Exame detecta estiramento na coxa, e Robinho pode perder o clássico


Atacante passará por três sessões diárias de fisioterapia e já iniciou o tratamento no CT Rei Pelé. Se não for a cabo, deve ser substituído por Gabriel ou Rildo

O atacante Robinho, do Santos, foi submetido a um exame de ressonância magnética nesta quinta-feira, que detectou um estiramento no músculo posterior da coxa direita. Ele sofreu a lesão aos 26 minutos da etapa inicial na vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-PR, na última quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. O atacante é dúvida para o clássico deste domingo, contra o São Paulo, às 16h, no Morumbi, pela 17ª rodada da competição

Para auxiliar na recuperação, Robinho passará por três sessões diárias de fisioterapia. O atacante já iniciou o tratamento no Cepraf (Centro de Excelência em Prevenção e Recuperação de Atletas de Futebol), do CT Rei Pelé

– Essas coisas (lesões) vão acontecer ao longo da competição. O calendário é duro quando se joga com a frequência que temos jogado. É uma retórica cansativa, mas é o que acontece. Se perdemos o Robinho, será porque ele praticamente não pôde treinar e fez seu quarto jogo – comentou o técnico Oswaldo de Oliveira, após a partida de quarta

Foi o quarto jogo consecutivo de Robinho em seu retorno ao Santos. Ele não tinha participado da pré-temporada do Milan nos Estados Unidos e, antes de voltar à Baixada, não jogava desde 20 de julho, quando disputou um amistoso contra o Monza – a última partida oficial do astro havia sido em 24 de abril, diante do Roma, pelo Campeonato Italiano

O atacante fez apenas três treinos antes de encarar o Corinthians, há 10 dias, e foi substituído aos 35 minutos da etapa final do clássico. Robinho também atuou contra o Londrina (quando marcou seu primeiro gol na volta ao Peixe) e o Cruzeiro, ficando em campo nos 90 minutos

Com o possível desfalque de Robinho no clássico, Gabriel deve voltar à equipe na vaga do astro - Rildo é a outra opção. O camisa 10 desfalcou o Alvinegro nas últimas quatro partidas por estar com a seleção brasileira sub-20 em um torneio na Espanha. Ele se reapresenta na sexta-feira.

Globoesporte.com

Retorno de Gabriel "embaralha" cabeça de Oswaldo antes de clássico

Técnico aguarda volta do camisa 10 e deve utilizá-lo contra o São Paulo, mas ainda não sabe como. Lesão de Robinho pode abrir uma vaga para o atacante na ponta

O atacante Gabriel deve ser a principal novidade do Santos no clássico deste domingo, contra o São Paulo, no Morumbi, pela 17ª rodada do Brasileirão. Campeão do Torneio Internacional de Cotif, na Espanha, com a seleção brasileira sub-20, ele se reapresenta na sexta-feira no CT Rei Pelé. O técnico Oswaldo de Oliveira quer aproveitar o atleta, artilheiro santista na temporada com 15 gols, mas ainda não decidiu como.

– Só depende de como ele chegar na sexta-feira. Se estiver bem, vai para o jogo. Como ele vai jogar? Bom, ainda não sei. Vai depender dessa questão do Robinho. O Rildo também fez boa partida... Vamos aguardar, ver como ele chega, daí resolvemos – disse Oswaldo, que costuma afirmar, nas entrevistas coletivas, que Gabriel pode atuar em qualquer função no ataque.

A lesão de Robinho, que sentiu a coxa direita na vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-PR, quinta-feira, pode abrir uma vaga para Gabriel na ponta – setor que lhe é familiar, apesar de pouco ter atuado em 2014. Neste caso, o atacante teria a concorrência de Rildo, que joga por aquele lado do campo e foi bem no lugar do camisa 7 diante do Furacão, ganhando elogios de Oswaldo.

Dos 33 jogos de Gabriel no ano, ele jogou como atacante pelos lados só cinco vezes, marcando um de seus 15 gols em 2014. A "estreia" na função foi na derrota por 4 a 1 para o Penapolense, no Paulistão – ele entrou na etapa final na vaga de Thiago Ribeiro. Gabigol também atuou como ponta nas vitórias por 4 a 1 sobre o Oeste (também no Estadual), e 2 a 1 no Princesa do Solimões (Copa do Brasil), além dos empates sem gols com Coritiba e Grêmio, no Brasileiro.

O melhor retrospecto de Gabriel no ano é como centroavante, função que vinha exercendo no Brasileirão até a convocação: são oito gols em 16 jogos, com 12 vitórias, dois empates e duas derrotas. Quando deixou o Santos para atuar na Seleção sub-20, deu lugar a Leandro Damião – que, a princípio, seguirá como titular no clássico deste domingo.

Outro papel exercido por Gabigol em 2014 foi o de meia-atacante, na função que atualmente é de Lucas Lima. O camisa 10 jogou por ali em boa parte do Paulistão e no início do Brasileirão – quando Geuvânio ainda era titular. Foram seis bolas na rede em 12 partidas como armador, com oito vitórias, três empates e uma derrota.

A definição sobre a participação de Gabriel no clássico e a função que exercerá ficará mesmo para depois dos treinos de sexta e sábado. Até lá, Oswaldo seguirá com a cabeça "embaralhada".

Globoesporte.com

Oswaldo minimiza lesão de Robinho e comemora fim de jejum de Damião


O técnico Oswaldo de Oliveira acalmou o torcedor do Santos após a vitória contra o Atlético-PR por 2 a 0 nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, em jogo válido pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. Isso porque o treinador acredita que a lesão de Robinho não é grave e, inclusive, espera contar com o craque no clássico contra o São Paulo no próximo domingo, às 16h (de Brasília), no estádio do Morumbi, pela 17ª rodada da competição.

"A situação do Robinho não me parece tão grave, não sentiu fisgada, foi tipo uma cãibra, que a perna embola, foi na musculatura posterior. Ainda não há previsão, virá ser examinado amanhã (quinta-feira), com cuidado para termos ideia do que vai acontecer", afirmou Oswaldo.

Além da esperança de contar com Robinho no clássico, Oswaldo comemorou bastante o fim do jejum do atacante Leandro Damião. O camisa 9 quebrou jejum de dez jogos sem marcar. O último gol do atacante havia ocorrido no dia 30 de março, na semifinal do Campeonato Paulista.

"Quer saber? A maior vitória hoje foi essa, claro que os três pontos foi importante. Mas não só o gol, a reação da torcida foi muito importante, por tudo que a gente sabe que aconteceu com esse rapaz (Damião). Acho que hoje ele vai dormir mais aliviado e vai nos próximos jogos ter muito mais confiança", disse.

O técnico santista também ressaltou a importância do gol de Thiago Ribeiro. O atacante marcou o seu primeiro na competição e se superou ao ser vaiado pela torcida no último duelo do Santos na Vila Belmiro. Isso porque o camisa 11 perdeu dois gols incríveis contra o Londrina, pela Copa do Brasil.

"Futebol é muito cíclico, uma competição como essa tem dessas instabilidades. O Santos, hoje, não jogou nem melhor nem pior do que os jogos que perdeu, acontece que conseguimos fazer os gols. Desperdiçamos chances, mas quero lembrar que jogamos contra um adversário muito bom. Aceitaram o desafio e foram pra cima, foi bonito, de movimentação, criaram oportunidades (atacantes). Quando existe esse tipo de confronto o futebol fica muito melhor de se ver", disse.

O Santos encarava um recente jejum de gols no Brasileirão. O time não balança as redes há três jogos (Internacional, Corinthians e Cruzeiro).

Após vencer o Atlético-PR, o Santos encara o clássico contra o São Paulo no próximo domingo, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro. Já o time paranaense enfrenta o Bahia no mesmo dia, às 18h30 (de Brasília), na Arena da Baixada, em Curitiba.

Uol Esporte

Após fim de jejum, Damião lembra dias de dores e promete jogar por Robinho


Após abrir o placar na vitória do Santos por 2 a 0 diante do Atlético-PR nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, e quebrar um jejum de dez jogos sem marcar um gol, o atacante Leandro Damião lembrou os dias de dores que passou durante a recuperação de um pubeíte (inflamação no púbis), sofrida em maio deste ano.

"Com a pubeíte ninguém sabe como é a dor, jogar com dor em tudo, mas graças a Deus hoje consigo fazer o meu trabalho, graças aos médicos. O importante é a vitória. Não adianta eu fazer gols e o Santos não ganhar", afirmou Damião.

O camisa 9 deixou o gramado preocupado com o atacante Robinho, que sofreu um incômodo no músculo posterior da coxa direita e foi substituído por Rildo aos 30 minutos do segundo tempo. Damião não sabe dizer a gravidade da lesão, mas já prometeu jogar pelo amigo e também por Bruno Uvini, que ficará seis semanas fora por causa de uma fratura nos ossos da face.

"Não sei o que teve com ele, mas vamos jogar por ele e pelo Bruno Uvini que, infelizmente, teve uma fratura", disse Damião.

Leandro Damião foi o melhor jogador do Santos na partida. O camisa 9 ainda finalizou com perigo em pelo menos mais duas oportunidades e armou algumas jogadas para os companheiros. Vaiado em diversos jogos na Vila, o centroavante deixou o campo aplaudido ao ser substituído por Souza aos 39 minutos do segundo.

Após vencer o Atlético-PR, o Santos encara o clássico contra o São Paulo no próximo domingo, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro.

Uol Esporte

Após quarto jogo em 10 dias, Robinho sente a coxa e é dúvida para clássico


Atacante deixa a partida contra o Atlético-PR no primeiro tempo e passará por exames. Vaga do camisa 7 contra o São Paulo pode ficar com Gabriel

Robinho deixou o torcedor do Santos preocupado nesta quarta-feira. Aos 26 minutos do primeiro tempo do jogo contra o Atlético-PR, na Vila Belmiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, ele caiu no gramado com incômodo na parte posterior da coxa direita e teve de ser substituído – Rildo entrou no lugar dele. O Rei das Pedaladas, que foi atendido pelo médico Maurício Zenaide, será submetido a um exame nesta quinta-feira para detectar a gravidade da lesão.

– (A lesão do) Robinho não me parece tão grave. Ele não sentiu fisgada, foi como uma câimbra. Mas, de qualquer maneira, não há previsão. Ele será examinado com mais detalhes e cuidados para termos ideia do que vai acontecer – disse o técnico Oswaldo de Oliveira, após o jogo.

– Essas coisas (lesões) vão acontecer ao longo da competição. O calendário é duro quando se joga com a frequência que temos jogado. É uma retórica cansativa, mas é o que acontece. Se perdemos o Robinho, será porque ele praticamente não pôde treinar e fez seu quarto jogo – emendou o treinador.

Foi o quarto jogo consecutivo de Robinho em seu retorno ao Santos. Ele não tinha participado da pré-temporada do Milan nos Estados Unidos e, antes de voltar à Baixada, não jogava desde 20 de julho, quando disputou um amistoso contra o Monza – a última partida oficial do astro havia sido em 24 de abril, diante do Roma, pelo Campeonato Italiano.

O atacante fez apenas três treinos antes de encarar o Corinthians, há 10 dias, e foi substituído aos 35 minutos da etapa final do clássico. Robinho também atuou contra o Londrina (quando marcou seu primeiro gol na volta ao Peixe) e o Cruzeiro, ficando em campo nos 90 minutos.

Com o possível desfalque de Robinho no clássico deste domingo, contra o São Paulo, às 16h, no Morumbi, pela 17ª rodada do Brasileirão, Gabriel deve voltar à equipe na vaga do astro. Gabigol desfalcou o Alvinegro nas últimas quatro partidas por estar com a seleção brasileira sub-20 em um torneio na Espanha. Ele se reapresenta na sexta-feira.

Globoesporte.com

Robinho se machuca, mas Santos bate Atlético-PR e encerra má fase


Peixe, que vinha de três derrotas seguidas e sem fazer gol no Brasileiro, supera o bom time do Furacão na Vila, mesmo sem seu melhor jogador

O Santos perdeu Robinho, machucado, mas venceu o Atlético-PR por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, encerrando sua pior fase no Brasileirão - o time vinha de três derrotas consecutivas, sem fazer um golzinho sequer. Leandro Damião e Thiago Ribeiro, que vinham sendo muito criticados, desencantaram, fizeram seus primeiros gols no torneio e deram a vitória ao Peixe, que empatou em pontos (23) com o próprio Furacão, no meio da tabela, mas à frente no saldo de gols (seis contra um).

O placar sugere uma vitória tranquila, mas não foi bem assim. Mesmo com Robinho em campo, o Atlético-PR teve boas chances para marcar - mas foi Leandro Damião, já no fim do primeiro tempo, quem abriu o placar. No início da etapa final, o Furacão chegou a dominar amplamente a partida, encurralando o Peixe em seu campo de defesa. Acabou se descuidando - no contra-ataque, o Santos matou o jogo com Thiago Ribeiro. No último minuto, Marcelo teve chance de descontar, de pênalti, mas mandou no travessão.

O público na Vila Belmiro foi de 4.612 pagantes, com renda de R$ 129.285,00.

Os dois times voltam a jogar no domingo. O Santos faz o clássico paulista contra o São Paulo, às 16h, no Morumbi. Já o Atlético-PR recebe o Bahia na Arena da Baixada, às 18h30.

O jogo

Robinho começou chamando a responsabilidade - como havia feito nos três jogos anteriores. Caía pelos dois lados, voltava para buscar jogo, aparecia na área. Já não tem o fôlego de menino, mas, mais experiente, aos 30 anos, mostrava que já conhece os atalhos do campo. Conhece também as limitações do próprio corpo. Aos 26, ao puxar contra-ataque pela esquerda, caiu com a mão no músculo posterior da coxa direita, já pedindo substituição.


O Atlético-PR, que não foi à Vila só para se defender, já tinha criado pelo menos três boas chances. Sem Robinho, o melhor do Santos, o Furacão imaginou que teria mais facilidade. Não teve. O Peixe passou a concentrar seu jogo pelas pontas, na velocidade de Cicinho e Rildo. Foi numa dessas jogadas que abriu o placar, já aos 44, com o lateral cruzando para Damião, na pequena área, encerrar um jejum que vinha desde 30 de março.

No segundo tempo, com Douglas Coutinho no lugar de Marcos Guilherme, o Atlético-PR era só pressão. Por pelo menos 20 minutos, encurralou o Santos em seu campo de defesa. Criou três boas chances para empatar. Não marcou. E acabou tomando o segundo, aos 21, num contra-ataque pela esquerda que culminou com cruzamento de Mena e finalização de Thiago Ribeiro - outro atacante que andava brigado com as redes, sem nenhum gol no Brasileiro até então.

O Atlético-PR seguiu lutando. No último minuto, Marcelo teve chance de descontar, de pênalti, mas mandou no travessão.

Globoesporte.com

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Único meia, Lucas Lima embala, joga todas no BR e 'esnoba' a 10 do Santos


Jogador ganhou espaço com as saídas de Cícero e Montillo e atuou em todas as 15 partidas do Peixe nesse Brasileirão. Contra o Atlético-PR, ele tenta acabar com jejum alvinegro

Lucas Lima chegou ao Santos no começo do ano sem badalação, demorou a estrear e desde o início e sempre carregou o status de reserva. Hoje, é o principal meia da equipe, único jogador do Peixe que atuou nas 15 partidas até aqui do Brasileirão e virou um dos xodós do técnico Oswaldo de Oliveira.

A trajetória do jogador na Vila Belmiro se assemelha com a dele no futebol. Lucas demorou a embalar. Desde a juventude, o armador passou por clubes menores, como Chapecoense, José Bonifácio (SP), América de Rio Preto-SP e Inter de Limeira, até ser comprado pelo Internacional e emprestado ao Sport. Hoje, aos 24 anos, enfim virou uma realidade no mundo da bola e carrega não só a responsabilidade de ser o armador do Santos, como a de ser o único meia do elenco (o jovem Serginho, de 20 anos, também treina com a equipe, mas não vem sendo sequer relacionado para as últimas partidas).

Eu acho que minha responsabilidade é grande, tenho sempre que armar o time. Mas isso não deixa eu me acomodar, sempre tenho que mostrar mais e quero fazer história aqui. Procuro sempre melhorar para ajudar o time, pois temos sempre que disputar e ganhar títulos – afirmou, em entrevista ao LANCE!Net.

Apesar das saídas de Montillo e Cícero, Lucas Lima ainda não tem o privilégio de usar a lendária camisa 10, que um dia foi de Pelé. O atual número 20, porém, minimiza isso.

– Eu deixo essas coisas para o Marketing do clube, não ligo, não. Numeração não é importante, importante é ser titular e ajudar a fazer bons jogos – argumentou o meia.

Presente em todos os 15 jogos deste Campeonato Brasileiro, Lucas foi titular nos últimos 12 e nesta quarta-feira é uma das esperanças do Santos para voltar a vencer no Nacional. Vindo de três derrotas consecutivas, para Inter, Corinthians e Cruzeiro, o Peixe recebe o Atlético-PR, às 19h30, na Vila Belmiro.

Depois de pegar no tranco, o meia quer ajudar o Santos a também embalar. E mais que isso: convencer a diretoria alvinegra que não é preciso um outro jogador para a posição.

– Enquanto mostrar meu valor, as coisas vão acontecer naturalmente!

Bate-bola com Lucas Lima, meia do Santos, ao LANCE!Net:

Como têm sido os primeiros jogos ao lado do Robinho? O ataque ficou mais rápido e criativo?
A característica do nosso time é justamente a velocidade, e o Robinho entrou na vaga do Rildo, que já era bem veloz também. Mas o Robinho é um craque, que impõe respeito para as outras equipes. O meu futebol só tem a crescer com a presença dele. 

Você se sente mais à vontade atuando nesse tipo de esquema?
Eu gosto bastante de me movimentar, não tenho dificuldade. Gosto de chegar na área, às vezes cair pelas laterais também. Para mim é fácil essa movimentação, gosto bastante do estilo que o Santos tem adotado. 

Nos últimos jogos, você tem feito primeiros tempos regulares e segundos tempos em alto nível. Concorda com isso? E por que?
Concordo, porque geralmente os primeiros tempos são mais truncados, fica mais difícil um pouco. Mas me cobro bastante para igualar isso no dois tempos e ajudar nosso time.

Então o que faz nos intervalos?
Procuro ver o que o professor tem pra falar, procuro descansar, me concentrar mais e tentar entrar mais atento para construir o resultado.

A maratona de jogos também contribui para que você corra mais em um tempo só das partidas?
Existe um desgaste, mas minha parte física está boa. É meu melhor momento fisicamente, sempre descanso no intervalo dos jogos. A maratona cansa, sim, mas dou conta.

Passava pela sua cabeça ser o único armador do elenco e ter uma sequência tão grande de jogos em pouco tempo de clube?
Não passava pela minha cabeça não, porque sempre penso que vai ter concorrência. Hoje tem o Serginho, da base. Mas independente disso tenho que estar sempre provando, porque no momento em que você não se mostra, não mostra o valor, perde o foco e as coisas não acontecem. Quero sempre demonstrar um nível alto.

Mesmo sendo o único armador você troca bastante de posição. Como funciona essa tática do time?
O Oswaldo dá total liberdade quando a gente está com a bola. Sem a bola ele pede para recompor e ajudar na marcação. Ele fala para a gente abrir espaço e se movimentar mais.

Lancenet

Seca de gols dos atacantes gera incômodo no Santos


Rildo, Gabriel e Diego Cardoso foram os últimos homens de frente a marcar pelo Peixe

Rildo, Gabriel e Diego Cardoso. Nesta ordem, os atacantes do Peixe decretaram a vitória em cima da Chapecoense, na Vila Belmiro, há três rodadas no Campeonato Brasileiro. De lá para cá foram três derrotas e nenhum gol marcado. E a falta de pontaria dos atacantes santistas não pode ser atribuída a ausência de criação de jogas, pois nas três partidas foram inúmeras chances de gol desperdiçadas. Gols que fizeram falta.

“Estamos criando oportunidades a olhos vistos. É algo que eventualmente você não consegue resolver nem apontar o problema. Os jogadores estão criando, tentando. Estamos nos preparando para isso, mas não posso dizer mais nada a respeito”, desabafou o técnico Oswaldo de Oliveira após a derrota para o Cruzeiro, no último domingo, em mais uma partida em que seus atacantes, principalmente Thiago Ribeiro e Leandro Damião, não souberam aproveitar as tantas oportunidades que tiveram.

Para o zagueiro David Braz, a solução só virá com empenho e confiança.

"Treino, trabalhando. Temos um ataque bom, confiamos muito nesses jogadores, tenho certeza que vai passar, esperamos que contra o Atlético (Paranaense, nesta quarta-feira) voltemos a fazer os gols", disse o jogador, antes de comentar o fato do elenco ter pouco tempo para corrigir os erros. "Não fizemos gol contra o Inter e não tivemos tempo para treinar e enfrentar o Londrina, que fizemos dois gols. Depois, o mesmo contra o Cruzeiro. Então, falta treino para realizar essas jogadas, precisa de treinos, se aperfeiçoar mais", explicou.

Artilheiro da equipe na temporada com 15 gols, Gabriel deve voltar a treinar com os companheiros no CT Rei Pelé nesta sexta-feira e tem grandes chances de ficar à disposição do técnico Oswaldo de Oliveira para o clássico contra o São Paulo, no próximo fim de semana. O jovem atacante não participou dos últimos jogos por estar com a seleção brasileira Sub-20, porém, como acabou expulso na semifinal, não poderá ajudar o time de Gallo na decisão e, com isso, antecipar seu retorno ao Peixe.

Gabriel, com três gols, é o artilheiro do Brasil no Torneio Internacional de Cotif, na Espanha.

FoxSports

Teste para Damião! Santos tenta findar jejum de gols contra o Atlético-PR


O Santos quer acabar com um recente jejum de gols no duelo contra o Atlético-PR nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), na Vila Belmiro, válido pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. Isso porque a equipe santista não balançou as redes nos últimos três jogos da competição – Internacional, Corinthians e Cruzeiro.

Além disso, o duelo contra o Atlético-PR serve de último teste para o atacante Leandro Damião permanecer no time titular, já que o atacante Gabriel Barbosa voltará ao time no clássico contra o São Paulo no próximo domingo, no estádio do Morumbi.

Damião não marca um gol há dez jogos. O camisa 9 balançou as redes pela última vez no dia 30 de março, na vitória do Santos contra o Penapolense por 3 a 2, válido pela semifinal do Campeonato Paulista.

"Não fizemos gol contra o Corinthians e não tivemos tempo para treinar e enfrentar o Londrina (Copa do Brasil), que fizemos dois gols, depois o mesmo contra o Cruzeiro. Então falta treino para realizar essas jogadas (de ataque), precisa de treinos, se aperfeiçoar mais e hoje esse pouco tempo de treino procuramos trabalhar umas jogadas, pois vai ser difícil contra o Atlético-PR", afirmou o zagueiro David Braz.

O técnico Oswaldo de Oliveira realizará duas mudanças na equipe titular em relação ao time que perdeu para o Cruzeiro por 3 a 0 no último domingo, no Mineirão. O zagueiro David Braz e o volante Alison, que cumpriram suspensão, voltam ao time nas vagas de Bruno Uvini e Alan Santos, respectivamente.

A partida também marcará o reencontro do Santos com o técnico Doriva, que comandou o Ituano na final do Campeonato Paulista deste ano, quando a equipe santista foi surpreendida e perdeu o título na decisão por pênaltis.

Os jogadores do Santos respeitam o treinador e prevêem outro confronto difícil contra o carrasco. "É um treinador que conhece a gente, defendeu o Ituano no Paulista, sabe como jogamos, com certeza vai passar para os jogadores o que encontrou quando enfrentou a gente. Não jogou conosco na Vila, mas vai passar informações sobre o que viu no Paulista. Vamos estar atentos, pois vai ser muito difícil", disse Braz.

O Atlético-PR, por sua vez, vem de empate com Sport por 1 a 1 no Recife. O zagueiro Cleberson, autor do gol contra os pernambucanos, cumpre suspensão e será substituído por Dráusio, que formará dupla de zaga com Léo Pereira.

O Santos é décimo colocado do Brasileirão, com 20 pontos, três a menos do que o Atlético-PR, que é o sétimo colocado.

Ficha Técnica - Santos x Atlético-PR

Local: Estádio Urbano Caldeira, Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 20 de agosto de 2014, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)
Assistentes: Celso Luiz da Silva (MG) e Marcus Vinicius Gomes (MG)

Santos: Aranha, Cicinho, Edu Dracena, David Braz, Eugenio Mena; Alison, Arouca, Lucas Lima; Thiago Ribeiro, Leandro Damião e Robinho.
Técnico: Oswaldo de OLiveira

Atlético-PR: Weverton, Sueliton, Dráusio, Léo Pereira, Natanael; Deivid, João Paulo, Bady e Marcelo Guilherme; Marcelo e Cléo.
Técnico: Doriva

Uol Esporte

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Muricy cita Gabigol e Victor Andrade ao criticar base: "Vem com defeito"


Técnico do São Paulo também coloca a culpa na troca de comando nas categorias e na "Lei do Passe": "Com 15 anos já se faz um grande contrato"

Parte da carreira vitoriosa do técnico Muricy Ramalho foi construída no Santos, entre 2011 e 2013. Foi lá que o treinador conquistou uma Taça Libertadores da América (2011), uma Recopa Sul-Americana (2012) e dois Campeonatos Paulistas (2011 e 2012). No entanto, também vem do Peixe os dois exemplos que o atual comandante do São Paulo puxou pela memória para criticar o que acontece nas categorias de base do futebol brasileiro. Citando Gabriel - também conhecido como "Gabigol" - e Victor Andrade, o técnico afirmou que os jogadores chegam ao profissional com "defeito" no aprendizado por se acharem craques quando ainda são muito novos.

- Tive um trabalho muito grande com o Victor e principalmente com o Gabriel, de chegar e sentar uma hora para falar com os dois, claro que separadamente. O Gabriel ouviu bastante, tanto que melhorou muito em relação ao comportamento, como se portava dentro de um treinamento, do campo. Isso é fundamental porque o cara lá na base já é ídolo, com 15 anos, e às vezes ninguém cobra porque o procurador fica bravo com o treinador. Então o cara vem com bastante dificuldade, bastante defeito (para o profissional). Às vezes essas pessoas que ficam do lado do jogador, ao invés de ajudar, atrapalham. Então a gente tem dificuldade - revelou.

Muricy expressou sua queixa com o status que muitos jovens adquirem, em alguns casos ainda com 15 anos. De acordo com o técnico são-paulino, os contratos firmados com as jovens promessas antes mesmo de chegarem ao profissional os atrapalham durante o desenvolvimento como atleta.

- O grande problema do jogador hoje, principalmente com a questão da "Lei do Passe", é que com 15 anos já se faz um grande contrato, altíssimo, e fala que é o melhor do mundo. Com 15 anos. O cara nem jogou ainda. A dificuldade é muito grande com esses meninos - disse.

O técnico do São Paulo também reclamou da constante mudança de treinadores nas categorias de base. Muricy citou que muitas trocas acontecem motivadas por preferências de escalações das diretorias, que demitem os treinadores quando são contrariados.

- Claro que alguns jovens entendem, como esses dois casos citados (Gabriel e Victor Andrade), que melhoraram muito. Principalmente o Gabriel, que voltou para a Seleção. O técnico realmente tem muito trabalho, porque trocam demais na base. O diretor às vezes não gosta do técnico porque não coloca os jogadores da preferência dele e troca. E não se tem uma linha de trabalho, é complicado - disse.

Arena SporTV

Santos é absolvido no STJD por conta de copo d'água atirado em Cássio


Clube foi levado a julgamento por conta de relato do árbitro Raphael Claus na súmula do clássico contra o Corinthians. Alison também ficou livre de gancho por expulsão

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu absolver o Santos em julgamento na tarde desta segunda-feira, no Rio de Janeiro. O clube foi julgado por conta de um copo d'água atirado pela torcida em direção ao goleiro do Corinthians, no clássico do último dia 10, na Vila Belmiro. O Peixe identificou o infrator.

Na súmula da partida, o árbitro Raphael Claus relatou que "antes do início do segundo tempo, um copo com água foi atirado em direção ao goleiro Cássio, arremessado da arquibancada em que estava a torcida do Santos". Diante da informação, o STJD colocou o clube em julgamento.

Enquadrado no artigo 213 do Código de Justiça Desportiva (deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir lançamento de objetos no campo ou local da disputa do evento desportivo), o Peixe apresentou como defesa um Boletim de Ocorrência feito no dia seguinte ao jogo, depois que o torcedor que arremessou o objeto reapareceu no clube para assumir o gesto.

E ressaltou também que esses casos têm de ser analisados de maneira diferente, porque "um copo d'água não é uma pedra ou um rádio". O promotor William Figueiredo, no entanto, afirmou que esses casos de objetos arremessados ao gramado tem sido cada vez mais recorrentes. E que a responsabilidade de inibir é do clube.

- Não se pode admitir determinadas condutas. Estão aumentando em vez de reduzir - disse.

Só que o fato de o Santos ter encontrado o culpado e feito o Boletim de Ocorrência ajudou na defesa. E o clube foi absolvido de multa de R$ 100 a R$ 100 mil e também de perda de mando de campo. Julgado por sua expulsão no clássico, Alison também foi absolvido. Como já cumpriu a suspensão automática, ele segue livre para defender o clube.

Globoesporte.com

Santos enfrentará o Grêmio nas oitavas da Copa do Brasil


Entidade sorteou nesta segunda-feira o chaveamento das oitavas de final da competição

A CBF sorteou nesta segunda-feira os confrontos das oitavas de final da Copa do Brasil. A entidade também apresentou os troféus que serão dados ao melhor jogador, ao melhor goleiro e ao artilheiro da competição. A primeira rodada das oitavas de final está programada para os dias 27 e 28 de agosto. 

Os clubes que disputaram a Libertadores, além de Vasco e Corinthians, foram uma espécie de cabeças de chave, ficando em um dos potes. No outro, apareceram os demais classificados até as oitavas da competição.

Os times que no sorteio foram colocados em lados diferentes só se enfrentarão em uma eventual final. Nas quartas de final, quem passar do jogo 1 pega o do jogo 2. O vencedor do respectivo jogo 3 joga contra o sobrevivente do jogo 4.

Em um segundo sorteio, a CBF definiu a ordem dos confrontos. Flamengo e Corinthians, por exemplo, decidem a classificação em casa. 

CONFIRA OS CONFRONTOS:
*Faz o primeiro jogo em casa

Lado 1
Jogo 1: Grêmio* x Santos
Jogo 2: Botafogo* x Ceará
Jogo 3: Cruzeiro* x Santa Rita
Jogo 4: Vasco* x ABC

Lado 2
Jogo 1: Coritiba* x Flamengo
Jogo 2: América-RN* x Atlético-PR
Jogo 3: Palmeiras* x Atlético-MG
Jogo 4: Bragantino* x Corinthians

Lancenet

Jogos para sempre - Santos X Corinthians - Brasileirão de 2002