No peito e na alma !

No peito e na alma !

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Sampaoli vai ter salário parecido ao de Cuca no Santos



Sampaoli não trabalhou após deixar a seleção argentina (Robbie Jay Barratt/Getty Images)

Por Jorge Nicola

Engana-se quem pensa que Jorge Sampaoli terá o maior salário do Brasil para dirigir o Santos. O Blog apurou com um membro do Comitê de Gestão que o Peixe desembolsará US$ 2 milhões (R$ 7,78 milhões) por temporada para contar com o técnico argentino. O acordo verbal entre as partes prevê 60% pagos em carteira e 40% como direitos de imagem.

Isso quer dizer que Sampaoli terá direito a um salário na casa de R$ 617 mil mensais. Cuca ganhava pouco menos do que isso, embora sua comissão completa custasse ao Santos cerca de R$ 700 mil mensais.

Felipão no Palmeiras, Renato Gaúcho no Grêmio e Mano Menezes no Cruzeiro estão entre os treinadores brasileiros com vencimentos maiores do que Sampaoli, que é esperado no domingo em São Paulo para acertar detalhes finais e assinar contrato. A vinda no sábado foi descartada porque um de seus auxiliares está em Miami, de férias.

Alguns pontos do acordo entre Santos e Sampaoli ainda ficaram abertos, embora o Santos garanta já ter o “aceite” do treinador por escrito na proposta feita. Entre os detalhes, estão a multa rescisória, os demais membros da comissão técnica e a definição do planejamento para a próxima temporada.

Trio argentino: Antes de bater o martelo com Sampaoli, o Santos também negociou com outros dois treinadores hermanos: Ariel Holan, do Independiente, e Guillermo Barros Schelotto, do Boca Juniors. Um dirigente santista assegurou ao Blog que os dois tinham conversas avançadas e se mostravam interessados em se mudar para a Vila Belmiro.

Holan ganharia pouco mais de R$ 500 mil mensais, enquanto Schelotto e toda sua comissão técnica dividiriam um valor próximo aos R$ 600 mil. Porém, José Carlos Peres optou por Sampaoli, por causa de seu enorme currículo, com passagens por Argentina, Chile, Sevilla, Universidad de Chile…

Entenda por que o Santos escolheu Jorge Sampaoli para comandar o time em 2019

Peixe diz ter acordo com técnico argentino, que deve assinar contrato no fim de semana; veja motivos que pesaram para a escolha do treinador

Por Globoesporte.com

Reuters

A saga do Santos para contratar um técnico para 2019 está muito próxima de acabar. Na última quinta-feira, o Santos divulgou que tem um acordo com Jorge Sampaoli, que dirigiu a seleção argentina na última Copa do Mundo da Rússia.

Sampaoli chega ao Brasil neste fim de semana para se reunir com o presidente José Carlos Peres e resolver os detalhes finais do contrato. Ambas as partes consideram o acerto bem encaminhado. Se tudo caminhar como esperado, o argentino assinará contrato válido por dois anos com o Santos.

A negociação para convencer Sampaoli, empolgado com o projeto apresentado pelo Santos, foi conduzida por exclusivamente por Peres. Ao mesmo tempo, o presidente também conversava com Ariel Holan, treinador do Independiente. Quando ouviu uma sinalização positiva do ex-comandante da Argentina, Peres se lançou em busca de um acerto, o que parece próximo de acontecer definitivamente.

Sampaoli estava desempregado desde que deixou a seleção da Argentina depois da Copa do Mundo – a equipe de Messi caiu nas oitavas, derrotada pela França, após campanha ruim na fase de grupos. Abaixo, o GloboEsporte.com explica os motivos que levaram o Santos a escolher o argentino para substituir Cuca e comandar o time em 2019.

"Choque" e experiência

A principal justificativa pela escolha de Jorge Sampaoli é sua postura como comandante. O presidente José Carlos Peres entende que o técnico seria um "choque" e daria um chacoalhão no atual elenco, que não conseguiu grandes feitos em 2018 após viver dois semestres distintos – o Santos fechou a temporada na 10ª colocação do Campeonato Brasileiro, o que garantiu o clube na Sul-Americana de 2019.

Sampaoli se encaixa perfeitamente no perfil que Peres desejava para assumir o Peixe: é um técnico experiente, com bagagem internacional, fascinado por tecnologia e análise de desempenho, que pratica o "DNA ofensivo" e gosta de utilizar as categorias de base.

Se o acordo for concretizado, será a primeira vez que Sampaoli dirigirá um time brasileiro. O treinador de 58 anos tem no currículo títulos nacionais no Chile e a Copa Sul-Americana de 2011, com a La U, e a Copa América de 2015, a primeira vencida pelo Chile, em casa. Antes de assumir a Argentina, foi treinador do Sevilla, da Espanha, entre 2016 e 2017.

Próximo do Santos, Sampaoli comandou Messi na seleção argentina há pouco mais de quatro meses — Foto: Marcos Brindicci/Reuters

Estilo de jogo e "ideias novas"

O "DNA ofensivo" citado acima está no sangue de Sampaoli. O argentino costuma dar prioridade ao ataque em suas equipes, algo que é muito prezado pelo torcedor santista e agradou Peres, que não titubeou quanto ao investimento para sua contratação. Seu estilo vibrante e seu nível de exigência encantaram o mandatário nos primeiros contatos.

O presidente do Peixe, em comunicado divulgado na última quinta-feira, minutos após o anúncio do "aceite" de Sampaoli, acredita que a contratação do argentino pode impactar o futebol brasileiro.

– O Santos é sinônimo de jovens talentos, futebol ofensivo, uma magia histórica e única. Nada melhor para comandar esse potencial que um técnico experiente, de nível internacional e com ideias novas. Será importante não só para o clube mas como para o nosso futebol. É uma grande atração que com certeza mobilizará nossa torcida nas próximas temporadas – diz um trecho da nota assinada por Peres.

Admiração de Peres por estrangeiros

Não é novidade que Peres é defensor da contratações de estrangeiros. O presidente sempre citou o Santos como uma marca internacional, que atrai grandes nomes do futebol mundial.

Antes de Sampaoli, o mandatário já havia reforçado o elenco santista com três gringos: Carlos Sánchez, Bryan Ruiz e Derlis González, além de ter sondado muitos outros durante o período de negociações na temporada passada.

A notícia do acordo do Santos com Sampaoli foi repercutida em sites e meios de comunicação de todo o mundo. O nome do técnico, inclusive, chegou a ser o primeiro nos trending topics mundial (assuntos mais falados) do Twitter.

– Podemos não ter o maior orçamento do futebol brasileiro, mas temos a maior marca entre os clubes nacionais e precisamos saber utilizá-la. Assim conseguimos atrair jogadores como Carlos Sánchez, Bryan Ruiz, Derlis González e agora o técnico Jorge Sampaoli – reitera Peres em outro trecho do comunicado divulgado na última quinta.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Peres sobre acerto com Sampaoli: “A vida precisa de ousadia”



Presidente do Santos salientou que “negociação não se faz com pressa” (Crédito: Ivan Storti/Santos FC)

O presidente José Carlos Peres demorou, mas ousou e contratou o argentino Jorge Sampaoli para comandar o Santos na temporada de 2019. O Peixe utilizou as redes sociais para anunciar um “aceite assinado”, espécie de carta de intenção válida juridicamente, pelo treinador nesta quinta-feira. Últimos detalhes serão definidos em reunião no final de semana.

Se passaram 20 dias entre a coletiva em que Cuca decretou que deixaria o clube e o anúncio oficial do Santos, mas, segundo o mandatário, “negociação não se faz com pressa”.

“A vida precisa de ousadia. Podemos não ter o maior orçamento do futebol brasileiro, mas temos a maior marca entre os clubes nacionais e precisamos saber utilizá-la. Assim conseguimos atrair jogadores como Carlos Sánchez, Bryan Ruiz, Derlis González e agora o técnico Jorge Sampaoli”, disse Peres.

Sampaoli tem 58 anos e acumula sucessos pelos clubes onde passou. Conquistou três títulos nacionais e uma Copa Sul-Americana com a La U, do Chile, antes de assumir a seleção chilena e conquistar a Copa América de 2015. Depois passou um ano pelo Sevilla e aceitou o convite da seleção argentina, que comandou na Copa do Mundo deste ano.

Confira a nota oficial do presidente José Carlos Peres na íntegra:

“A vida precisa de ousadia. Podemos não ter o maior orçamento do futebol brasileiro, mas temos a maior marca entre os clubes nacionais e precisamos saber utilizá-la. Assim conseguimos atrair jogadores como Carlos Sánchez, Bryan Ruiz, Derlis González e agora o técnico Jorge Sampaoli.

Santos FC é sinônimo de jovens talentos, futebol ofensivo, uma magia histórica e única. Nada melhor para comandar esse potencial que um técnico experiente, de nível internacional e com ideias novas. Será importante não só para o clube mas como para o nosso futebol. É uma grande atração que com certeza mobilizará nossa torcida nas próximas temporadas.

Seguimos na missão de, com criatividade e responsabilidade, elevar aos poucos o Santos FC para um novo patamar, mais profissional e inovador. Negociação não se faz com pressa.

Presidente do Santos Futebol Clube, José Carlos Peres.”

“Ignorado” pelo Santos, Holan viu 12 jogos e topou reduzir salário


Holan vivia a expectativa de dirigir o Santos (Foto: Mauro Pimentel/AFP)

O Santos tinha tudo encaminhado com Ariel Holan, do Independiente-ARG, até a manhã da última quarta-feira, quando passou a ignorá-lo e focou em Jorge Sampaoli, outro argentino e anunciado como novo técnico nesta quinta. 

O cenário é semelhante à negociação com Zé Ricardo antes da definição por Cuca, em julho. O atual treinador do Botafogo conversou sobre detalhes contratuais e esperou pelo convite para a assinatura – que nunca ocorreu.

Holan aguardava ansioso pelo fim das tratativas com o Peixe e, inclusive, assistiu aos últimos 12 jogos do time no Campeonato Brasileiro e sabia de duas carências: um “meia cerebral” e um “atacante puxador de contra-ataque”.

O técnico foi procurado por clubes dos Estados Unidos e Emirados Árabes, além de ter recebido uma sondagem da seleção colombiana, mas priorizou o Alvinegro e aceitou reduzir em 20% seu salário na Argentina. A diferença entre o oferecido e o pedido era de menos de R$ 100 mil.

Como não há multa rescisória no seu acordo com o Independiente, Ariel Holan aguardava pelo Santos para comunicar a diretoria e explicar sobre a oportunidade no Brasil, vista por ele como um salto na carreira e um desafio tentador. Ele soube da opção por Sampaoli pela imprensa. Por Gazeta Press

NOTA OFICIAL


Publicado em 13 de dezembro de 2018 por Santos FC.

Santos FC e Jorge Sampaoli têm um aceite assinado na proposta para que o argentino seja o treinador da equipe em 2019. Os últimos detalhes e a assinatura do contrato devem ser finalizados em encontros presenciais neste final de semana.

O argentino de 58 anos começou sua trajetória como treinador em 1994. Durante a longa carreira, Sampaoli teve passagens marcantes por Universidad de Chile, Seleção Chilena e Sevilla, da Espanha. Em 2018 ele comandou a Argentina na Copa do Mundo.

Santos faz proposta, e Elano pode assumir como técnico da equipe sub-20


Ex-jogador afirma te feito contraproposta: "Me interessa muito"

Por Globoesporte.com

O Santos fez uma proposta a Elano para ele ser o treinador da equipe sub-20 em 2019. O ex-jogador apresentou uma contraproposta salarial bem próxima ao ofertado e espera retorno da diretoria santista.

– Eu tive uma proposta, fiz uma contraproposta, e aguardo retorno para que possa acertar outras questões. Me interessa muito, seria bom tanto para mim como para o Santos – disse Elano ao GloboEsporte.com.

A diretoria santista exalta a identificação de Elano com o clube. Como jogador, o ex-meia teve duas passagens pelo Santos, conquistando dois Campeonatos Brasileiros, dois Campeonatos Paulistas e uma Copa Libertadores.


Elano treinou o time principal do Santos em 2017 — Foto: Ivan Storti / Divulgação Santos FC

O Santos estuda uma reformulação nas categorias de base após um desempenho pífio neste ano. A lista de dispensa conta com quase vinte jogadores, e outros devem ser emprestados durante 2019.

Elano foi auxiliar na comissão técnica de Dorival Júnior, no ano passado, e comandou o Peixe como técnico interino nas sete últimas rodadas do Campeonato Brasileiro 2017, com três vitórias, três derrotas e um empate. Ao assumir, em janeiro, presidente José Carlos Peres optou por demitir o ex-jogador e contratar Jair Ventura.

Santos anuncia “sim” de Sampaoli e fala em reunião para assinar


Santos anuncia Jorge Sampaoli como substituto de Cuca (Foto: Juan Mabromata/AFP)

O Santos anunciou nesta quinta-feira um princípio de acerto com Jorge Sampaoli, técnico ex-seleção argentina. O Peixe confirma o “sim” do profissional à proposta de dois anos de contrato e a vinda ao Brasil no sábado para definir detalhes e assinar o acordo até o fim da gestão do presidente José Carlos Peres, na substituição de Cuca.

“Santos FC e Jorge Sampaoli têm um aceite assinado na proposta para que o argentino seja o treinador da equipe em 2019. Os últimos detalhes e a assinatura do contrato devem ser finalizados em encontros presenciais neste final de semana”, disse o Santos em nota oficial.

Sampaoli deve trazer três membros para sua comissão técnica: dois auxiliares e um preparador físico. O valor, no total, é de cerca de R$ 1 milhão por mês. O argentino ainda discutirá algumas coisas, como o departamento de análise de desempenho enxuto, composto por apenas três pessoas.

O argentino foi seduzido pelo projeto do Santos e pelo desejo de treinar no Brasil. Antes, ele já tinha se entusiasmado com o Flamengo. O comandante sabe dos jovens jogadores com potencial e da cobrança do torcedor por um futebol vistoso, característica do seu trabalho.

Com a preferência por Sampaoli, o Alvinegro ”ignorou” Ariel Holan, do Independiente-ARG. Insatisfeitos, os agentes encerraram as conversas diante da falta de comunicação com o presidente. Um dos empresários chegou a ligar na secretaria do Business Center, em São Paulo, para tentar contato com Peres na última quarta-feira. A negociação estava avançada e a diferença entre o oferecido e o pedido era de menos de R$ 100 mil.

Veja o perfil dos reforços avaliados pelo Santos no mercado

Apesar de o Peixe ainda não ter acertado a contratação de um técnico para 2019, diretoria já tem lista de nomes preparada para o aval do futuro comandante

Por Globoesporte.com

O Santos ainda não movimentou a Central do Mercado por conta da indefinição do substituto de Cuca no comando do time em 2019, mas já avalia nomes de possíveis reforços, tratados em sigilo, para a próxima temporada.

A justificativa do Santos para não ter anunciado nenhum reforço até o momento é que precisa de um aval do futuro técnico para os possíveis alvos na janela.

Renato, desde que se aposentou, focou exclusivamente no cargo de executivo de futebol, tem agradado internamente na função e já preparou uma lista com nomes que podem reforçar o elenco santista em 2019. A ideia inicial é trazer jogadores para todas as posições de linha.

Renato, executivo de futebol do Santos — Foto: Arthur Faria

Como o Santos não vive situação financeira favorável, grande parte dos atletas citados na lista não exigiria um grande investimento do Peixe, o famoso "bom e barato". Trazer atletas de "peso" por empréstimo, como fez com Dodô e Gabigol nesta temporada, também deve ser uma prática recorrente para 2019.

Além disso, peças em final de contrato com seus respectivos clubes também são estudadas, o que possibilitaria o Peixe tentar uma liberação imediata por uma compensação financeira baixa, assim como fez na negociação de Carlos Sánchez com o Monterrey, do México.

O perfil desejado pela diretoria do Santos, que entende que o momento não é de apostas por conta do mau desempenho em 2018, é contratar atletas rodados, que chegariam com status de titular. Para poder investir mais, a cúpula santista sabe que será necessário negociar jogadores do atual elenco.

Usar jogadores como moeda de troca também será uma alternativa a ser pensada no Santos. Nesta janela, duas possibilidades já surgiram, mas estão em estágio inicial:

Membros do Comitê de Gestão disseram, na última segunda-feira, que já há ao menos seis nomes apalavrados – sem revelar nomes ou para quais posições –, mas que dependeria do "ok" do futuro comandante.

Jorge Sampaoli vem ao Brasil no sábado para fechar com o Santos

Jorge Sampaoli vem ao Brasil no sábado para fechar com o Santos (Foto: Francisco Leong/AFP)

O técnico argentino Jorge Sampaoli vem ao Brasil no sábado para definir a ida ao Santos. A informação foi confirmada por seu representante, Fernando Baredes, à Gazeta Esportiva.

A negociação está encaminhada e faltam detalhes. O acordo avançou na noite desta quarta-feira e o salário surpreendeu o Peixe por ser inferior ao pedido pelo técnico Abel Braga e semelhante ao negociado com Ariel Holan, do Independiente.

O contrato de Sampali com o Santos deve ser de duas temporadas e ainda não foi conversado sobre integrantes de sua comissão técnica, algo que o Peixe o deixa a vontade para resolver.

Como explicado pela reportagem mais cedo, o argentino foi seduzido pelo projeto do Santos e pelo desejo de treinar no Brasil. Ele sabe dos jovens jogadores com potencial e da cobrança do torcedor por um futebol vistoso, característica do seu trabalho.

Com a preferência por Sampaoli, o Alvinegro ”ignorou” Holan. Insatisfeitos, os agentes encerraram as conversas diante da falta de comunicação com o presidente. Um dos empresários chegou a ligar na secretaria do Business Center, em São Paulo, para tentar contato com Peres na última quarta-feira. A negociação estava avançada e a diferença entre o oferecido e o pedido era de menos de R$ 100 mil.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Santos inicia manutenção no gramado da Vila Belmiro



Empresa contratada é a mesma que presta serviços para os rivais Palmeiras e Corinthians (Crédito: Reprodução)

O Santos iniciou nesta terça-feira uma manutenção no gramado da Vila Belmiro. O procedimento é praxe após o término de uma temporada e a previsão de entrega é antes do início das partidas de 2019. O Peixe estreará no Campeonato Paulista no dia 20 de janeiro, contra a Ferroviária, na Vila.

O gramado do estádio santista passará por um processo de fresa, descompactação e adubação. A empresa contratada pelo Peixe para executar o serviço foi a World Sports, com sede na capital paulista, que também é encarregada de cuidar dos gramados do Allianz Parque, da Arena Corinthians, do Pacaembu e de outros estádios.

Vale lembrar que o presidente José Carlos Peres quer promover uma modernização na Vila Belmiro, uma reforma chamada de retrofit pelo cartola. O site oficial do clube chegou a falar em quatro intervenções no estádio ainda em 2018: vidros rebaixados na arquibancada térrea, demolição dos camarotes para a construção de novo setor térreo atrás do gol oposto ao placar, reforma na divisória da torcida visitante e obras nos camarotes laterais. Apenas as duas primeiras foram realizadas neste ano.

Após negativa de Abel, Santos tem meta de contratar técnico até sexta

Presidente José Carlos Peres estipulou nova meta para fechar com o treinador do Peixe para 2019. Negociações já começaram, mas plano A é mantido em sigilo

Santos tem meta de contratar novo técnico até sexta (Foto: Ivan Storti/Santos)

Depois da negativa de Abel Braga - contratado pelo Flamengo -, o Santos estipulou uma nova meta para contratar o seu novo técnico. Sexta-feira é o prazo para ter o novo comandante. As negociações já começaram, mas o plano A é mantido em sigilo. 

O presidente José Carlos Peres e outros membros do Comitê de Gestão negaram vários nomes de treinadores questionados pela reportagem e não dão pistas sob a alegação de não prejudicar a negociação.

Ao LANCE!, Peres já havia traçado o perfil do novo técnico. A ideia do mandatário é contratar alguém com boa relação com a base e "ser um cara tarimbado".

- O novo técnico precisa ter um bom relacionamento com a base, aproveitar os novos valores, ser um cara tarimbado, entendeu? Que venha para fazermos uma reformulação, se assim for preciso - disse.

O mandatário gostaria de ter a ajuda do técnico Cuca, que deixou o comando do Santos por conta de problemas de saúde no coração. Entretanto, o treinador não acatou a ideia.

Sem técnico, Santos atrasa planos e aumenta impasse sobre futuro de Dodô


Membros do Comitê de Gestão dizem que Peixe fez proposta pelo jogador, mas pessoas próximas a ele negam

Por Globoesporte.com

A indefinição pela contratação de um novo técnico tem afetado diretamente o planejamento do Santos para a temporada 2019. Enquanto não contrata um treinador, o Peixe corre sério risco de perder um de seus principais jogadores: o lateral-esquerdo Dodô.

Membros do Comitê de Gestão chegaram a dizer na última segunda-feira, em reunião na Vila Belmiro, que o clube havia feito uma proposta para a compra dos direitos. Pessoas próximas ao jogador, porém, negaram em contato com a reportagem do GloboEsporte.com.

Dodô está valorizado depois da boa temporada realizada com a camisa do Santos. O vínculo com o Peixe vai até o fim de 2018, mas o clube precisa desembolsar dois milhões de euros (R$ 8,8 milhões, na cotação atual) para comprar os direitos pertencentes à Sampdoria, da Itália.

Dodô ainda não sabe se jogará no Santos em 2019 — Foto: Marcelo Baltar

O presidente José Carlos Peres e o executivo de futebol Renato já sinalizaram que o Santos só anunciará reforços depois da contratação do novo técnico. O motivo é simples: o futuro treinador tem de dar o aval nas possíveis chegadas de atletas. O Santos, portanto, ainda não tem novos jogadores para a próxima temporada.

O Santos é o único dos quatro grandes clubes paulistas que ainda não tem técnico para 2019. Abel Braga era o favorito, mas fechou com o Flamengo na última segunda-feira. Ariel Holan, do Independiente, virou opção.

Os gestores do Santos prometeram negociar com um treinador "top de linha", sem clube e que sofre forte concorrência no mercado. Além disso, esperam resolver o imbróglio até o fim desta semana.

Os membros do Comitê de Gestão já negaram todos os nomes que vêm sendo especulados, como Dorival Júnior, Roger Machado, Zé Ricardo, Vanderlei Luxemburgo e Diego Aguirre.