No peito e na alma !

No peito e na alma !

quinta-feira, 15 de março de 2018

Gabigol e Rodrygo vivem noites opostas em vitória "na raça" do Santos no Pacaembu

Camisa 10 é expulso no primeiro tempo, e raio decide com golaço


Por Globoesporte

Gabriel, 21 anos, ídolo do Santos e com passagem (frustrante) pela Europa viu sua própria torcida chamá-lo de burro quando acertou Polenta no campo de ataque e foi expulso de campo. Rodrygo, 17, primeiro jogo como titular numa Libertadores, também saiu antes do fim, mas ovacionado após marcar um golaço, o segundo da vitória sobre o Nacional por 3 a 1 no Pacaembu.

Representantes das duas últimas gerações de Meninos da Vila, ele tiveram noite oposta nesta quinta-feira, na partida da segunda rodada da fase de grupos do torneio continental.

Começaram no mesmo ritmo: os dois advertidos com cartão amarelo aos 11 minutos do primeiro tempo numa confusão com o volante Oliva.

Depois, seguiram caminhos diferentes. Gabriel esteve bem enquanto a cabeça não o atrapalhou. Até marcou um gol, mas estava impedido – e a arbitragem viu.

Aos 43 minutos, porém, fez falta desnecessária em Polenta no campo de ataque, sem qualquer objetivo, a não ser o de dar ao juiz a justificativa para expulsá-lo – e o árbitro aproveitou.


Gabigol foi expulso no primeiro tempo (Foto: Marcos Ribolli)

Nas arquibancadas, gritos de burro para o jogador que custou 1,5 milhão de euros num empréstimo que acabará em dezembro.

Àquela altura, o Santos vencia sem sustos por 1 a 0, gol de Sasha, com imensa colaboração do goleiro Conde.

Rodrygo, até então, era mais discreto que o colega, mas estava ligado. Parecia bem à vontade no trio de ataque alvinegro – e nem um pouco triste por matar aula, ele que é aluno do 3º ano do colegial de uma escola de Santos.

Com 10 jogadores, o time voltou do intervalo com a missão de segurar o Nacional, que certamente tentaria tirar vantagem da expulsão de Gabriel.

Não deu nem tempo: com dois minutos, Dodô, que tinha acabado de entrar, tocou para Rodrygo na esquerda. O garoto – vale ressaltar, de 17 anos – saiu driblando por ali, invadiu a área, viu o goleiro avançar sobre ele, e tocou como um veterano, com a calma que faltou a Gabriel, para fazer 2 a 0.


Rodrygo é abraçado por Dodô após balançar as redes (Foto: Marcos Ribolli)

Ouviu quase 20 mil pessoas gritarem novamente, mas dessa vez era o seu nome que ecoava no Pacaembu.

Aos 21 minutos do segundo tempo, sentiu dores e deixou o campo de maca. Outra oportunidade para que os santistas gritassem "Rodrygo", com Y mesmo, o mais jovem brasileiro a marcar um gol em Libertadores – 17 anos, dois meses e seis dias.

Ainda teve pênalti perdido por Arthur Gomes, gol do Nacional e o terceiro do Santos, outra vez de Sasha.

Que os Meninos da Vila conversem no retorno a Santos nesta noite. Rodrygo pode aconselhar Gabriel durante uma carona na volta para casa, talvez, já que ainda não pode dirigir.

5 comentários:

geraldo Oliveira disse...

Time jogou bem diferente do que vinha jogando....mostrou garra e determinação e muitas falhas ainda.Esse Gabriel precisa jogar todos os jogos pra parar de levar cartão e precisa crescer. Porisso que não deu certo na Europa. Tenho de admitir que hoje o time mostrou o que todo torcedor quer ver....

geraldo Oliveira disse...

Enquanto isso já sou fã desse menino Rodrygo......creio que nasceu outro craque no Santos......esse clube e uma fábrica de craques e talentos para o futebol.....que os "cartolas" saibam honrar o nome do clube sejam eles de qual posição política forem.....

geraldo Oliveira disse...

Esse Gabriel ficou sem jogar por quatro partidas seguidas e quando volta faz isso? Revejam como vão tratar esse comportamento pois isso pode se tornar problema e não solução

Fabricio Bernardo disse...

Sasha é o melhor do Santos joga muito.

Fabricio Bernardo disse...

Mas colocar Vecchio de novo? Alguem avise pro Jair q esse cara e perna de pau. Deixar o Vitor Bueno no Banco pra colocar esse retardado de Titular. Va se lascar Jair Ventura