No peito e na alma !

No peito e na alma !

terça-feira, 6 de junho de 2017

Dorival critica dúvidas "maldosas" de conselheiros do Santos: "Muita fofoca"


Treinador do Peixe rebate questões feitas por membros do clube após contratações de jogadores empresariados por seu cunhado e diz que não houve atrito em sua saída

Foram dois anos dirigindo o Santos, e Dorival Júnior acabou demitido do clube na quarta rodada do Brasileiro depois de um mau início. Mas a saída do treinador não teria sido marcada apenas pelos resultados, mas também por desgaste dentro do clube. Surgiram rumores sobre uma "sabatina" que seria feita com o técnico no início da temporada, cancelada depois pelo presidente Modesto Roma Júnior. O ex-comandante do Peixe comentou sobre a situação e esclareceu o fato de ter contratado jogadores que têm a carreira gerenciada pelo empresário Edson Khodor, seu cunhado.

- Isso aconteceu no início do ano. Eu só não fui à essa sabatina porque o presidente não quis. Eu não tenho nada a esconder, tenho um cunhado que é agente Fifa há mais de 15 anos, e até hoje eu trouxe três jogadores desse meu cunhado. O Lucas Lima, da Inter de Limeira, quando ninguém conhecia, para o Internacional. O Fernandinho, um meia-atacante que foi para o Figueirense quando eu dirigi o clube. E tudo isso com a aceitação da diretoria, sabendo que o atleta era do meu cunhado. Ou seja, em 15 anos eu trouxe dois jogadores, sendo que agora eu trouxe o terceiro, o Leandro Donizete, que não tem o que provar para ninguém, que por cinco, seis anos foi titular absoluto do Atlético-MG, disputando aí quatro ou cinco Libertadores - afirmou.

Dorival criticou alguns "questionamentos maldosos" e disse que essas questões não fazem nenhum sentido, visto que todos os envolvidos já sabiam desses fatos antes da contratação dos jogadores. Para Dorival, há "muita fofoca" em torno do Santos e alguns conselheiros pensam em mudar o clube para pior.

- Quando chegou esse atleta que o Edson era o procurador, (...) começaram a lançar questionamentos maldosos de todos os cantos e isso é um fato normal, mas eu não tenho um ano de carreira, tenho alguns anos já. Acho que não tem sentido nenhum esse tipo de colocação para mim, porque o presidente já conhecia meu cunhado antes de me conhecer. E o Lucas Lima já era jogador do Santos até antes de eu chegar aqui. É muita fofoca girando em torno da vida de um clube que tem uma grandeza muito maior do que meia dúzia de conselheiros que pensam em interferir negativamente na vida do clube e que se dizem torcedores - disse o treinador.

Outro assunto comentado por Dorival foi o de sua demissão do clube. Na ocasião, o presidente do Alvinegro disse que era necessário "balançar a roseira e fazer uma mudança". Ao ser perguntado sobre uma possível motivação política, pelo fato de este ser um ano de eleições no Santos, o treinador afirmou que não sabe a resposta, mas que pensou sempre no melhor para o clube.


- Olha, eu não sei se contribuiu ou não. A política de um clube eu nunca vou entender, sinceramente eu sempre vou contestar, eu acho que todos são partidários de uma mesma entidade, só que uns brigam com os outros pelo momento político do clube. Eu estava defendendo a camisa do Santos. Quando eu visto a camisa de um clube, eu vou sempre procurar o melhor, naturalmente, para os jogadores, para a diretoria, para os torcedores e para o clube que eu esteja defendendo.

Dorival ainda desmentiu um boato de que Lucas Silvestre, filho e auxiliar de Dorival Júnior, teria um relacionamento com atritos com outros integrantes do clube. Ele diz que o papel de Lucas era de fiscalizar e estar atento no que acontecia, mas que não houve qualquer tipo de problema.

- Não houve atrito nenhum. Eu acho que para você ficar dois anos em um clube do porte do Santos, você não faz por um acaso, você tem que ter e eu sempre primei por ter um grande ambiente de trabalho, dei muita atenção a tudo isso. Todos nós lá, inclusive a própria participação do Lucas, não como filho, mas como profissional, dia a dia ela é cobrada, é natural que ele esteja sempre atento e em cima de tudo que esteja acontecendo. Me surpreende uma notícia como essa, porque se vocês consultarem todos os atletas ali, vão ver que em momento nenhum nós tivemos um atrito sequer com ninguém. 

- Tive um problema lá atrás com o Marcelo Fernandes lá atrás, dentro de um alto nível, foi sanado, sem problema nenhum, não houve desrespeito ao profissional Marcelo, ele foi tratado sempre com muita atenção, respeito, inclusive pela diretoria do clube, tanto que ele está de volta agora, nesse momento - concluiu. SporTV

Nenhum comentário: