No peito e na alma !

No peito e na alma !

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Titular de novo, Braz se blinda contra críticas no Santos: "Só peço respeito"


De volta ao time, zagueiro reconhece que não está na sua melhor forma e não liga para "cornetas" de torcedores santistas, a não ser que "mexem" com a sua família

David Braz teve uma boa temporada no Santos em 2015: se firmou como titular, foi campeão paulista e chegou a ganhar o rótulo de "ídolo" para muitos torcedores – suas camisas eram as mais vendidas nas lojas oficiais do clube. A boa fase, inclusive, fez os santistas esquecerem o início do zagueiro no Peixe, em 2012, quando pouco atuava, era alvo de críticas e chegou a ser emprestado para o Vitória.

A melhor fase de Braz no Alvinegro, porém, foi interrompida por uma grave lesão. Na final da Copa do Brasil do ano passado, contra o Palmeiras, ele rompeu o músculo adutor da coxa esquerda. A contusão fez com que o zagueiro perdesse toda a pré-temporada e a vaga de titular. 

Em 2016, David Braz "estreou" só em março, mas logo parou novamente para evitar uma lesão por causa da sequência de partidas, já que ele não tinha se preparado com o elenco no início do ano. Depois da pausa, o defensor viu Luiz Felipe ser titular da defesa ao lado de Gustavo Henrique. Com 29 anos e o rótulo de um dos líderes do elenco, o defensor teve de esperar por uma chance. E ela veio há três jogos, quando Gustavo sofreu uma lesão grave no joelho esquerdo.

De volta à equipe, David Braz também voltou a enfrentar uma antiga rotina: as críticas nas redes sociais. Calejado após altos e baixos na carreira, o zagueiro prefere se afastar de xingamentos e se prende apenas a reclamações construtivas. Seus familiares, porém, também têm sido alvo de ataques, alega o jogador.

– Procuro ter tranquilidade, não ligar (para as críticas), mas só peço respeito aos meus familiares. Algumas críticas não vão para o lado profissional, abusam, falam coisas inadequadas. Minha família acompanha e é muito chato isso. Tive que bloquear para evitar esses comentários – disse David Braz em entrevista ao GloboEsporte.com.

– Sei que o torcedor de verdade apoia, mesmo se eu não for muito bem reconhece meu potencial e o que eu vivi, sabe que eu trabalho forte todos os dias. É para esses que eu ligo e procuro correr em campo. Tenho que ter paciência e tranquilidade para resolver críticas. Logo logo elas vão passar e tudo vai voltar ao normal – completou o zagueiro. 

David Braz é um dos jogadores mais queridos do elenco (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Agora titular, Braz não sente mais dores e tem como objetivo readquirir o ritmo de jogo para voltar a atuar no seu melhor nível.

– Não senti as dores do ano passado, fico feliz por isso. Eu me senti bem. É questão de tempo. Fiquei muito tempo sem jogar, quatro meses, depois mais dois fora. Normal sentir um pouco da falta de ritmo com a velocidade dos jogos, mas aos poucos vou me recuperando para voltar ao futebol normal de antes – projetou.

David Braz tem 22 jogos em 2016 e, se não for por lesão, deve seguir como titular pelo menos até o fim da temporada. Ao todo, desde que chegou, em 2012, são 130 partidas, com 11 gols marcados.

Veja outros pontos da entrevista com David Braz:

Banco de reservas

– Fiquei tranquilo porque era esperado. Houve uma brecha. Luiz Felipe esperava oportunidade, foi bem, e continuou na equipe. Normal. Respeitei a decisão do treinador. Sei como é o futebol. As coisas mudam rápido, o reserva vira titular e importante. Não queria que fosse dessa forma, com lesão do Gustavo Henrique, mas faz parte da vida. Vivi isso no Palmeiras, jogava bem, lembrado pela seleção olímpica em 2008 para a Olimpíada, mas rompi a cartilagem do joelho e parei por seis meses.

Pressão por futebol bonito

– Pressão sempre vai existir. Santos é grande, acostumado a títulos, grandes jogadores. Vai ser sempre assim. Sempre vão querer bons jogos e time para frente. Nem sempre vamos conseguir um grande futebol, envolvente. Penso que no momento temos que vencer. Houve jogos em que jogamos bem e perdemos, como contra o Figueirense. Temos que olhar para frente e sabermos o que realmente queremos: vencer ou jogar bonito?

Entre tapas e beijos

– Teve um torcedor que me criticou no Facebook que eu nem tenho e veio pedir desculpas porque tratei muito bem seu filho. Deus o incomodou e ele pediu perdão, foi homem, teve hombridade de pedir desculpas. Aceitei, com certeza, porque ele quer ver o Santos bem, e eu também. Não estou de sacanagem. Espero que tenham um pouco de paciência em caso de um erro ou outro.


David Braz é um dos líderes do atual elenco comandado pelo técnico Dorival Júnior (Foto: Marcos Ribolli)

Busca por melhora no passe

– É uma das jogadas que eu treino, procuro sair bem, e tenho trabalhado no dia a dia. Erros acontecem e vou continuar tentando, não posso desistir, não vou tocar de lado. Os maiores vencedores são os que erraram e não desistiram. É assim que eu procuro levar a minha carreira. Tenho responsabilidade, sou último homem e não posso fazer besteira, mas trabalho para ajudar e fazer o que professor pede.

Falta de público na Vila Belmiro

– Ainda não sei explicar. Pode ser por dinheiro, não sei muito bem de valores, mas espero que isso possa mudar. Torcedor é muito importante, ainda mais em decisões. Espero que a Vila Belmiro volte a lotar. É momento de união em busca de título e Libertadores. Eles nos ajudaram muito no Paulista.

Globoesporte.com

Nenhum comentário: