No peito e na alma !

No peito e na alma !

quinta-feira, 26 de março de 2015

Sem pretensão, Marcelo fica a uma vitória de chegar a marca histórica

Caso o Santos vença a Ponte Preta, técnico chegará a sexta vitória seguida desde seu início, igualando feito conseguido apenas em 1938 na história do Santos

Um técnico começar o trabalho com cinco vitórias seguidas é algo raro, mas tinha acontecido três vezes nos 102 anos de história do Santos. Nomes históricos como Flávio Costa, Bilu, Carlos Gainete e Emerson Leão conseguiram. E coube a um novato ser o quinto desta lista: Marcelo Fernandes.

Nesta quinta-feira, às 21h, contra a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, Fernandes pode igualar um feito conseguido quando não estava nem perto de nascer.

Em 1938, Flávio Costa conseguiu comandar o time em seis triunfos seguidos. Agora, o recorde pode ser igualado pelo atual comandante santista. Mas para isso, o time precisa fazer o que o treinador considera ser o mais importante para a equipe.

– Não é prioridade para mim essas coisas de marca. Isso fica para vocês da imprensa. Se acontecer, vou ficar feliz, mas estou pensando no time primeiro. Eu quero que o time ganhe, isso é mais importante e depois jogar bem, claro. Se puder ganhar dez, vou querer, mas priorizo o time jogando bem e ganhando – disse Marcelo Fernandes ao LANCE!.

Falando em coletividade, o Peixe mantém uma sequência de vitórias que dura oito partidas, sendo que em 2015 os jogadores ainda não perderam nenhuma vez. E nem querem.

Por mais que o treinador tente dispensar os números, eles o perseguem até na tabela do Paulistão. Antes dono da melhor campanha do Estadual, agora o Peixe está empatado com o Corinthians, com 29 pontos. O que diferencia os alvinegros, é justamente um número, o saldo de gols, com dois a mais a favor do Peixe.

Mesmo com a perseguição da favorável matemática, Marcelo prefere confiar onde ele sempre soube trabalhar: na bola e no campo.

Confira o bate-bola com Marcelo Fernandes:

O grande adversário do Santos no Paulistão é o Corinthians?

Temos o São Paulo e o Palmeiras no encalço, não podemos dar brecha. Teoricamente seria com o Corinthians porque vamos pegá-los, mas tem vários times chegando. O Corinthians nos preocupa, mas não podemos dar brecha para os adversários. Nenhum deles.

Como justifica o sucesso do time para essa sequência?

A simplicidade é tudo. O que combinamos nos jogos está sendo executado. TIvemos um estudo profundo sobre eles e eles se portaram de forma muito bem feita. O grupo está fechado e unido.

Te preocupa jogar sem o Robinho? Tem pressa?

Não pensei nisso ainda, penso no jogo a jogo, temos a Ponte Preta, que é um adversário difícil e é muito nem treinada pelo Guto Ferreira. Depois tem São bento e aí temos uma semana cheia para pensar no Corinthians. Vamos com calma.

Lancenet

Nenhum comentário: