No peito e na alma !

No peito e na alma !

terça-feira, 4 de julho de 2017

Atlético-PR e Santos começam duelo brasileiro pelas oitavas da Libertadores


Em um palco inusitado para as oitavas de final da Libertadores da América, Atlético Paranaense e Santos se encontram nesta quarta-feira, às 19h15 (de Brasília), na modesta Vila Capanema, em Curitiba, para iniciar um confronto brasileiro para saber quem segue na edição 2017 da competição. Para o Furacão, o desfalque da Arena da Baixada, que recebe a fase final da Liga Mundial de Vôlei, pode ser sentindo, mas o Peixe também tem suas dificuldades a superar.

Para a ‘decisão’ contra o Atlético-PR, o Santos precisa fazer as pazes com o fundo das redes. Afinal, o time comandado por Levir Culpi marcou apenas um gol nos últimos três jogos. Além disso, o Peixe ocupa o posto de quarto pior ataque do Campeonato Brasileiro, com apenas 10 gols marcados em 11 rodadas.

Completando o fraco desempenho no ataque, o alvinegro também é a equipe que menos finalizou no Brasileirão, com 112 chutes (média de 10,18 por jogo). Perguntado sobre os números modestos na competição nacional, Levir mostrou surpresa, mas prometeu um Santos mais ofensivo em Curitiba.

“Não estou a par dos números. Você (repórter) me surpreendeu. A escalação é ofensiva, mas não quer dizer que vai atacar bem. O conjunto pesa muito. O time defensivo pode finalizar muito. Precisa ter um encaixe para aumentar esses números. A tal da bola parada, enfim. Nossa ideia é jogar ofensivamente. Vai ser um jogo pesado. O time do Santos tem capacidade para competir e vencer”, explicou o comandante em entrevista coletiva nesta terça-feira.

E para o duelo diante do Furacão, Levir não deve fazer grandes mudanças no time titular. Poupados no empate com o Atlético-GO, no último sábado, Lucas Veríssimo, Jean Mota, Renato, Bruno Henrique, Copete e Victor Ferraz estão confirmados.

Sendo assim, o Santos deve entrar em campo nesta quarta-feira com: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Bruno Henrique, Copete e Kayke.

O Furacão vira a chave depois da derrota polêmica no final de semana diante do Sport, que interrompeu a reação dentro do Campeonato Brasileiro e, com pouco tempo para trabalhar, foca seu principal objetivo no ano. A classificação na fase preliminar e, na sequência, na de grupos, foi obtida com muita luta, no sufoco, e a projeção é de mais vida dura para o Rubro-Negro seguir para as quartas de final.

Preocupado com a maratona de jogos e a falta de tempo para acertar o time, o técnico Eduardo Baptista poupou cinco titulares, o lateral-direito Jonathan, o zagueiro Thiago Heleno, o lateral-esquerdo Sidcley, o volante Otávio e o meia-atacante Nikão, que reaparecem diante do Peixe. Quem fica de fora é Wanderson, que cumpre suspensão automática pela expulsão diante da Universidad Católica.

O zagueiro Paulo André, recuperado de lesão, retomou seu lugar entre os titulares, mas admite que retorna preocupado com a atual fase de instabilidade, justamente em um momento decisivo para o clube. “Não estamos jogando bem. O ano estava indo de uma forma boa com Libertadores, mas agora estamos passando por uma fase decisiva e não estamos bem. Isso me preocupa e não adianta ninguém achar que está tudo bem. Temos uma decisão importante na Libertadores e temos que buscar fazer o melhor”, finalizou.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-PR X SANTOS

Local: Estádio Vila Capanema, em Curitiba (PR)
Data: 05 de julho de 2017, quarta-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (CHI)
Assistentes: Marcelo Barraza (CHI) e Claudio Rios (CHI)

ATLÉTICO-PR: Weverton; Jonathan, Thiago Heleno, Paulo André e Sidcley; Otávio, Lucho Gonzalez, Rosseto (Carlos Alberto); Nikão, Douglas Coutinho, Grafite (Ederson)
Técnico: Eduardo Baptista

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique e Kayke.
Técnico: Levir Culpi

Um comentário:

JEAN MICHEL MULHMAMM MOTA disse...

Daew Santistas!!!
O Levir tenq sair desse 4-3-3. Deixa o time vulnerável e é a mesma formação do Dorival. Se for pra manter essa formação, pra q trocar de técnico??
Abraços