No peito e na alma !

No peito e na alma !

quarta-feira, 1 de março de 2017

Dorival explica por que os reforços do Santos ainda não ganharam destaque

Peixe gastou cerca de R$ 25 milhões em contratações. Dorival explica que é preciso de tempo para adaptação ao sistema tático e que ideia era dar chances aos poucos

Depois de seis rodadas do Paulistão, o Santos ainda não viu os reforços engrenarem no time. O investimento de cerca de R$ 25 milhões na contratação de jogadores fez o torcedor criar alta expectativa. Em especial com o zagueiro Cléber e o atacante Bruno Henrique. Mas...

Para o técnico Dorival Júnior, ainda é cedo para cobrar um melhor rendimento dos reforços. Por dois motivos: adaptação ao sistema tático e o desfalque de peças importantes, como David Braz, Renato e Lucas Lima.

– É complicado para os que chegam. Isso demanda tempo. A ideia inicial era que os jogadores fossem inseridos aos poucos, não como estão sendo, jogando e buscando adaptação dentro campo. Quando se dá em maior quantidade (a utilização de reforços), é natural sentir um pouco. Desde a primeira partida (contra o Linense) que não temos a equipe principal. Os que chegam aos poucos adquirem ritmo – explicou Dorival.

– Vou dar um exemplo: o Vitor Bueno está acostumado a jogar como atacante e foi utilizado como meia (diante do Botafogo-SP), sua função de origem. Ele precisa se readaptar, teve problemas. Imagina quem chega agora e encontra um novo ambiente de trabalho e tem que produzir? – questionou o treinador. 


Veja a situação dos seis reforços contratados pelo Santos para a temporada.


Cléber

O zagueiro chegou ao Santos com a necessidade de reequilíbrio muscular. Recuperado, iniciou como titular contra a Ferroviária, mas foi expulso no segundo tempo da derrota por 1 a 0. O camisa 31 retornou da suspensão no banco de reservas diante do Botafogo-SP e entrou no intervalo na vaga de Yuri. São 67 minutos em campo. 

Bruno Henrique

Contratação mais cara da gestão Modesto Roma (R$ 13,5 milhões), o atacante aos poucos vai ganhando espaço na equipe titular. Ele entrou no segundo tempo das partidas contra RB Brasil, Ferroviária, São Paulo e Ituano, e saiu jogando diante do Botafogo-SP (150 minutos em 5 jogos). 

Leandro Donizete

O volante é o reforço que mais teve oportunidades até aqui. São cinco jogos como titular na vaga de Renato, que se recupera de estiramento na panturrilha. O veterano tem convivido com as críticas da torcida, mas conta com a confiança de Dorival. São 337 minutos pelo Peixe.

Kayke

O centroavante disputa posição com Rodrigão como reposição imediata para Ricardo Oliveira. Ele foi decisivo com o polêmico gol da vitória sobre o RB Brasil, mas foi discreto contra o Ituano, quando foi titular, e nos minutos finais diante do São Paulo. Foram 115 minutos jogados. 

Matheus Ribeiro e Vladimir Hernández

A dupla, que chegou com poucos holofotes na Vila Belmiro, ainda não estreou. Com Victor Ferraz e Zeca como titulares, o lateral ambidestro só ficou no banco de reservas. Já o atacante colombiano ainda não foi regularizado e só treina.

Vladimir Hernández ainda não está regularizado para estrear pelo Santos (Foto: Ivan Storti/Divulgação Santos FC) Globoesporte

Nenhum comentário: