No peito e na alma !

No peito e na alma !

domingo, 13 de novembro de 2016

Seduzido pelo título, Ricardo Oliveira lamenta lesão que atrapalhou seu ano

Com inflamação no joelho direito, camisa 9 do Santos perdeu dois meses da temporada e não atingiu objetivos a que se propôs. Mesmo assim, análise é positiva

Crítico de si mesmo, Ricardo Oliveira propôs desafios para cumprir ao longo de 2016. Depois de ser o artilheiro do Brasil no ano passado, o atacante não atingiu todas as metas, mas não é por isso que está descontente com seu desempenho.

Por causa de uma inflamação no joelho direito, o camisa 9 perdeu dois meses da temporada, além de uma lesão muscular de grau 1 e convocações para a seleção brasileira. Com isso, fez até agora neste ano menos da metade metade dos gols de 2015: 18 contra 37, em 35 jogos ante 62 partidas.

Em contrapartida, o artilheiro vê o Santos em boa fase. O time foi eliminado da Copa do Brasil, mas venceu o Campeonato Paulista e ainda sonha com o título brasileiro – está a seis pontos do líder Palmeiras a quatro rodadas do fim da competição. 

– A lesão sofrida no fim do Campeonato Paulista me atrapalhou. Fiquei um bom tempo parado, fora do início do Brasileiro. Vejo os número como positivos dentro do que eu sofri. Sem essa lesão, certamente eu estaria na artilharia (ele tem sete gols no Brasileirão), brigando nas cabeças. Só demonstra que continuo sendo produtivo e eficiente – disse Ricardo Oliveira em entrevista ao GloboEsporte.com.

Seduzido pela chance de erguer a taça do Campeonato Brasileiro, o capitão lamenta o tempo perdido, porém lembra que ainda resta quatro jogos para engordar as suas estatísticas. 

– Eu sempre vou pensar no nível coletivo. Quando coletivo vai bem, individualidades aparecem. E é assim que fui artilheiro no ano passado e tenho feito gols importantes em 2016. Santos está bem, brigando pelo título. Há chances matemáticas e essa possibilidade nos seduz – explicou o atacante.

– 2016 não tem sido como eu idealizei e gostaria. Sempre traço planos, objetivos, desafios, e trabalho duro para alcançá-los. Mas não é um ano desperdiçado, pelo contrário. É um ano muito positivo. Queria que fosse melhor individualmente, mas faltam quatro jogos, quem sabe não dê para fazer uma temporada muito boa? – completou.

Na sua segunda passagem pelo Santos, Ricardo Oliveira soma 76 gols em 129 partidas, uma média de 0,59 gols por jogo. O contrato do centroavante vai até o fim de 2017.

Nenhum comentário: