No peito e na alma !

No peito e na alma !

sábado, 8 de outubro de 2016

Léo e G10 ovacionados, 4º goleiro pega pênalti e estreante faz: Santos empata com Benfica


Pouco mais de 10 mil pessoas se despediram de um dos maiores ídolos de toda a história do Santos Futebol Clube. Leonardo Lourenço Bastos, o Léo, dono de uma das maiores marcas em número de jogos e títulos, já havia se aposentado em 2014, mas, para ele, este dia 8 de outubro de 2016 vai ficar para a memória.

O eterno camisa 3 santista entrou em campo pela última vez na Vila Belmiro - que também foi muito homeageada, por conta de seu centenário, que se completará no próximo dia 12 - e foi ovacionado pelos fãs alvinegros e também do Benfica, equipe pela qual atuou entre 2005 e 2009 e também virou ídolo.

No amistoso que revivia a épica final do Mundial de Clubes de 1962, ganho pelo Santos, os lusos jogaram sério e quase estragaram a festa brasileira: 1 a 1, com gol de pênalti do argentino Sálvio, no primeiro minuto do segundo tempo, e empate do também portenho Fabián Noguera, que fez seu primeiro jogo com a camisa santista.

Quem apareceu bem na foto em campo foi o quarto goleiro do Santos, João Paulo. Ele defendeu outra penalidade, desta vez de Zé Gomes, e ainda fez uma grande defesa em chute de fora da área, caindo com estilo no ângulo esquerdo.

Léo atuou por cerca de dez minutos na primeira etapa pelo Benfica e, logo em sua entrada em campo, mesmo de vermelho, foi muito comemorado. Aos 39 do segundo tempo, arrancou gritos de "olê, olê, olê, olê, Léo, Léo" até do próprio banco de reservas do Santos.

Foram 455 jogos do camisa 3 enquanto esteve no Santos, sendo o décimo atleta que mais entrou em campo na história do clube. Ele fica atrás de Coutinho (457), Tite (475), Clodoaldo (510), Edu (584), Dorval (612), Lima (696), Zito (727), Pepe (750) e, claro, o Rei Pelé (1.116).

Nos poucos minutos em que esteve em campo, ele demonstrou, como sempre, muita vontade e ainda arriscou uma pequena arrancada pela esquerda, com direito a um drible desconcertante em um marcadror benfiquista.

Outro que adentrou o gramado centenário da Vila Belmiro e foi muito comemorado foi Giovanni, o G10, que também é conhecido pelos santistas como "Messias". Com a camisa 10 e a tarja, ele também ficou pouco tempo, mas mostrou sua categoria habitual.

O Santos até iniciou a partida com seus 11 titulares, mas foi aos poucos os retirando de campo e os substituindo. As alterações de Dorival Júnior começaram quando Renato levou uma entrada dura do argentino Cervi e caiu de mau jeito com as costas, preocupando a comissão técnica.

O lance chegou a irritar os jogadores santistas, que teriam visto maldadade na chegada do meio-campista. Isso gerou uma leve discussão, inclusive com o zagueiro Luisão, que chegou para defender seu companheiro de clube. Depois disso, sempre que tocava na bola, o brasileiro era vaiado pela torcida alvinegra na Vila.

O Santos agora volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro. Na quinta-feira, pela 29ª rodada, a equipe da Vila Belmiro viaja à capital paulista, onde enfrenta o São Paulo, no Pacaembu, às 21h (de Brasília).

ESPN

Nenhum comentário: