No peito e na alma !

No peito e na alma !

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Santos desconfia que R. Oliveira 'faz a cabeça de atletas' e estuda medida



O termo 'pilhar' na Vila Belmiro é utilizado por dirigentes do Santos quando o assunto é a influência do atacante Ricardo Oliveira no elenco. O UOL Esporteapurou que a cúpula alvinegra já via com bons olhos a venda do jogador na abertura da janela de transferências do mercado chinês no meio deste ano por acreditar que o camisa 9 incentiva parte dos atletas a deixar o clube.

No entanto, o papel de herói de Ricardo Oliveira na final do Campeonato Paulista, diante do Audax, no último domingo, quando ele marcou o gol do título mesmo atuando no sacrifício, com dores no joelho, fez a diretoria santista repensar a medida de aceitar liberá-lo no meio do ano.

A cúpula alvinegra acredita que, após vetar a saída de Ricardo Oliveira para o futebol chinês no início deste ano, o seu capitão virou um problema fora de campo e, por isso, já esperava a chegada de uma nova oferta para negociá-lo. No entanto, os dirigentes santistas não negam que o camisa 9 é a solução do time dentro das quatro linhas. 

Agora, a saída de Ricardo Oliveira, que era unanimidade até a final contra o Audax, já divide opiniões na cúpula santista e será levada a votação no Comitê Gestor em caso de proposta. Na Votação no início do ano, apenas um integrante votou a favor da saída do atacante e, por isso, recebeu o apelido de "capeta" pelos demais membros da diretoria.


Ricardo Oliveira ofereceu R$ 26 milhões do próprio bolso para o Santos no início deste ano, pois abriu mão de metade do valor oferecido pelo Beijing Guoian, da China, para conseguir a sua liberação na Vila Belmiro. Mas o clube paulista queria, no mínimo, R$ 34,8 milhões para liberá-lo.

Depois da recusa, foi iniciada uma 'guerra' entre atletas e diretoria. Na visão dos dirigentes, o mais influenciado é o meia Lucas Lima, que pediu aumento para Ricardo Oliveira publicamente e ainda externou em entrevistas que espera gratidão do Santos para liberá-lo no meio do ano em caso de propostas do futebol europeu.

Enquanto não decide o futuro do camisa 9, a diretoria santista se previne e busca reforços para a posição. Rodrigão, centroavante do Campinense, já está contratado. Jonathan Copete, do Atlético Nacional, deixar após o término da participação do clube colombiano na Copa Libertadores da América.

O estafe de Ricardo Oliveira sabe das acusações da diretoria, mas se defende e diz que já ajudou a convencer dois jogadores a não deixarem o clube no ano passado, casos de Gabigol (que teve propostas do Galatasaray) e Thiago Maia (que foi procurado pelo Atlético de Madri).

Uol

Nenhum comentário: