No peito e na alma !

No peito e na alma !

sábado, 12 de março de 2016

Sem Lucas Lima, Santos vence com gol de substituto e mantém boa fase



O Santos não contou com Lucas Lima, suspenso por ter levado o terceiro cartão amarelo na vitória sobre o Corinthians. Mesmo sem seu principal articulador de jogadas, o time da Vila Belmiro foi superior ao Água Santa neste sábado, no Pacaembu, e venceu pelo placar de 1 a 0.

O gol foi marcado justamente pelo jogador que substituiu Lucas Lima: Rafael Longuine, que contou com um desvio da zaga para abrir o placar aos 30 do primeiro tempo. O placar só não foi mais elástico porque algumas outras boas chances criadas pelo Santos terminaram em boas defesas do goleiro Richard. 

O resultado deixa o Santos em situação confortável no Grupo A. São agora 18 pontos conquistados em nove rodadas, cinco a mais do que o Linense, vice-líder da chave. O time também assumiu a liderança geral do campeonato, mas, para se manter, precisa de um tropeço do Corinthians, que tem 17 pontos e entra em campo neste domingo. O Água Santa, por sua vez, permanece com 11 pontos e é o terceiro do Grupo D.

O próximo jogo do Santos será já na terça-feira, fora de casa, contra o XV de Piracicaba. Já o Água Santa só voltará a campo no sábado, quando enfrentará o Botafogo em Ribeirão Preto.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 0 ÁGUA SANTA

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 12 de março de 2016, sábado
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Furlan Assistentes: Vicente Romano Neto e Patrick André Bardauil
Público: 16.035 pagantes
Renda: R$ 436.880,00
Cartões amarelos: Thiago Maia, Ronaldo Mendes (Santos); André Rocha, Rafael Santiago, Jonathan (Água Santa)
Cartão vermelho: André Rocha (Água Santa)
Gols: Rafael Longuine (Santos), aos 30 do 1º tempo

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Zeca; Renato, Thiago Maia, Rafael Longuine (Ronaldo Mendes) e Serginho (Paulinho); Gabriel (Joel) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Júnior

ÁGUA SANTA: Richard; Jonathan, Gustavo, Eli Sabiá e Bruno Ré; André Rocha, Francisco Alex (Guina), Sérgio Manoel e Éder (Augusto); Rafael Santiago (Rafael Martins) e Everaldo.
Técnico: Márcio Ribeiro

FASES DO JOGO

Primeiro tempo
O Santos não demorou para se impor dentro de campo. Com o controle da partida desde os primeiros minutos, pressionou bastante o Água Santa. Buscou as ultrapassagens pelos lados e tirou proveito dos buracos que surgiam na marcação adversária nestas jogadas. Esses avanços pelas laterais aconteciam principalmente pela direita, seja pelos avanços de Victor Ferraz ou pelos cortes em diagonal de Gabriel. Foi por ali que nasceu o primeiro gol. Rafael Longuine recebeu de Victor Ferraz na entrada da área e bateu cruzado. A bola desviou em Eli Sabiá e entrou. O Santos chegou a criar algumas chances para ampliar, mas foi parado pelas boas defesas do goleiro Richard.

Segundo tempo
O jogo recomeçou com um ritmo parecido com o que se via antes do intervalo: o Santos aproveitando os avanços pelas laterais em busca do segundo gol, mas parando em Richard. A situação se desenhou ainda mais desafiadora para o Água Santa aos dez minutos, quando André Rocha recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. O técnico Márcio Ribeiro mexeu na equipe e colocou Augusto para tentar reforçar a marcação, evitando que o Santos encontrasse ainda mais liberdade para trocar passes. O time continuou sendo dominado na maior parte do tempo, mas conseguiu fechar um pouco melhor os espaços na marcação e encaixou alguns contra-ataques ameaçadores. Mas as chances mais perigosas de gol foram mesmo do Santos: em um chute de Paulinho de fora da área que bateu nas duas traves e em uma finalização de Ricardo Oliveira que Richard botou para escanteio.

DESTAQUES
Rafael LonguineFoi o primeiro gol dele nesta temporada, logo em seu primeiro jogo como titular. Em 2015, foram dois. O último aconteceu no dia 13 de setembro, quando balançou as redes na derrota do Santos por 3 a 1 para a Ponte Preta, pelo Campeonato Brasileiro.
Força como mandanteApesar de o jogo não ter sido na Vila Belmiro, o Santos foi o mandante. Nesta condição, já faz mais de oito meses que o time não perde. A última derrota em casa aconteceu no dia 5 de julho de 2015, pelo Brasileiro, quando foi superado pelo Grêmio por 3 a 1.

MELHORES
Victor Ferraz, SantosLevou muito perigo nos avanços pela direita. Acabou sendo o mais eficiente organizador de jogadas do Santos na partida.

Richard, Água SantaFez defesas difíceis durante os 90 minutos, evitando que o Santos construísse um placar mais elástico. Foi vencido apenas no gol de Rafael Longuine, em um lance no qual a bola só entrou após desvio na zaga.

PIORES
André Rocha, Água Santa
Mostrou-se perdido na marcação, dando muito espaço para as articulações ofensivas do Santos. Além disso, foi expulso logo aos dez minutos do segundo tempo, diminuindo bastante as chances de reação da sua equipe.

Uol

Nenhum comentário: