No peito e na alma !

No peito e na alma !

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Ricardo Oliveira agradece a time chinês e promete empenho no Santos


Centroavante do Peixe queria ter ido para o Beijing Guoan, da China, mas negociações não evoluíram. Janela de transferências fechou nesta sexta-feira, às 13h


O centroavante Ricardo Oliveira agradeceu, em comunicado, o interesse do Beijing Guoan, da China. O jogador negociou com o time asiático até o início da tarde desta sexta-feira, quando fechou a janela de transferências para o futebol chinês. O Peixe, porém, não aceitou os valores oferecidos para liberar o atacante.


Com contrato com o Alvinegro até dezembro de 2017, Ricardo Oliveira promete empenho depois de não acertar com o Beijing Guoan. O atleta receberia cerca de R$ 1 milhão por mês e gostaria de ter ido para a China.


– Como foi em toda minha carreira, vou continuar cumprindo com minhas obrigações de funcionário do clube. Honrando a camisa do Santos como sempre honrei, trabalhando no dia a dia como sempre trabalhei, e me doando em campo como sempre me doei. Não será uma negociação que mudará a minha postura. Já passei por momentos como esse, em mais de 15 anos de carreira profissional, e em nada mudou a minha conduta – diz parte do comunicado, no qual Ricardo Oliveira também agradece aos chineses pelo interesse.

– Ao Beijing, o meu muito obrigado pelo interesse. Ao Santos, também o meu obrigado por ter analisado a proposta. E que tenham tomado a decisão correta – continua. 

Ricardo Oliveira também lembra que, quando voltou ao Brasil, no início de 2015, cedeu de graça seus direitos federativos ao Santos, já que estava sem clube.

– Não hesitei em ceder todos os meus direitos federativos ao Santos, possibilitando à agremiação arrecadar milhões de reais com um atleta que irá completar 36 anos, e que chegou sem custos.

Sem acerto com o Beijing Guoan, Ricardo Oliveira será reintegrado ao elenco comandado pelo técnico Dorival Júnior. Ele não enfrentou o Mogi Mirim na última quinta-feira, por causa das negociações.

Nenhum comentário: