No peito e na alma !

No peito e na alma !

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Dorival condena pressão sobre Marcelo Oliveira e ainda lamenta vice


Técnico do Santos reclamou sobre as críticas feitas ao comandante do Palmeiras e o tempo curto que eles têm para mostrar serviço

Neste sábado (20 de fevereiro) tem Palmeiras x Santos no Allianz Parque. No último encontro, dia 2 de dezembro, o clássico decidiu o título da Copa do Brasil e, por mais irônico que pareça, pouco mais de dois meses depois, Marcelo Oliveira, campeão com o alviverde naquela ocasião, chega pressionado para o confronto, correndo sérios riscos de ser demitido em caso de um resultado adverso diante do Peixe. A situação incomoda até mesmo seu rival Dorival Júnior, que além de ser o técnico santista, também é um dos cinco vice-presidentes da Federação Brasileira de Treinadores de Futebol.

“Eu acho muito engraçado quando você rotula uma situação e no futebol nós somos especialistas nisso. Nós estamos com 40 dias de treinamento, o Palmeiras acabou de sair da conquista de um campeonato e os trabalhos estão sendo contestados. É muito difícil você conviver com situações como essas. E só o futebol brasileiro te proporciona isso de fato. É incrível”, contestou Dorival, antes de cobrar uma mudança de postura em todos os setores.

“Não tem como explicar uma situação como esta. Volto a dizer: é só no nosso país. E este movimento é aquilo que falo: todo mundo fala em mudanças no futebol, mas as pessoas não começam a mudar nem a si próprios. Eu pego aí as manifestações. São iguais. Movimento da mídia é igual. (O movimento) dos treinadores, é igual. Então, as situações se repetem. Vamos alcançar mudanças quando? Falar em mudanças é uma coisa. Você praticar é outra completamente diferente”, disse.

Para Dorival Júnior, mesmo que a equipe palmeirense não venha desempenhando um bom início de ano, com tropeços seguidos no Campeonato Paulista e na Copa Libertadores, qualquer análise ainda é muito precoce.

“Um trabalho não pode ser analisado por 40 dias apenas. É muito complicado, muito cedo para que tenha uma equipe produzindo à altura, produzindo a contento. Vocês estão vendo as dificuldades de todas as equipes do futebol brasileiro. E começam a questionar os resultados de um profissional que acabou de ser campeão de um belo campeonato nacional. Então, é difícil falar alguma coisa”, completou.

Vice sem explicação

Derrotado justamente pela equipe de Marcelo Oliveira na grande decisão da Copa do Brasil, Dorival Júnior, diferente de seus jogadores, não vê problemas em falar dos últimos clássicos disputados contra o Palmeiras.

“Cada partida tem uma história e uma situação completamente diferente. Eu acho que naquela noite muitas coisas aconteceram favoravelmente ao Palmeiras, que acabou ganhando o campeonato. Mas, para mim, as anormalidades já aconteceram desde a Vila (primeira final)”, comentou, ainda sem encontrar respostas pela queda de rendimento do Santos nas finais.

“Perdemos pênalti, criamos seis ou sete oportunidades, além da última jogada (com Nilson). Parecia que as coisas se desenhavam favoravelmente ao Palmeiras. O Santos até poderia ter perdido, como acabou perdendo, mas foi uma partida que jogamos muito abaixo das nossas condições. Três dias depois fizemos uma partida muito boa contra o Atlético-PR. São coisas que às vezes não tem como explicar”, encerrou, conformado.

FoxSports

Nenhum comentário: