No peito e na alma !

No peito e na alma !

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Com dois prêmios, Ricardo Oliveira diz que não esperava ano tão bom


Centroavante afirma que, ao voltar ao Santos em 2015, não pensava em "se expôr
ao ridículo", mas também não imaginava ser artilheiro e melhor atacante da Série A

Aos 35 anos, Ricardo Oliveira voltou ao Santos nesta temporada, e foi artilheiro do Campeonato Brasileiro (com 20 gols). De quebra, foi outra vez convocado para a Seleção. O atacante reconhece que não esperava uma ano tão bom quando retornou ao país e destacou a amizade do Santos, vice-campeão da Copa do Brasil, campeão paulista e sétimo lugar na Série A.

- É resultado do investimento que fiz na minha carreira. Eu abdiquei de muitas coisas, sabia que meu corpo precisava do descanso ideal, para poder competir em alto nível. Chegar ao Brasil para me expôr ao ridículo não fazia parte da minha ideia, não queria. Não vim por um fator financeiro, foi um fator familiar. A minha decisão foi acertada. Fico grato ao Santos, pela oportunidade que me deu. É claro que eu não imaginava um ano tão bom, para receber premiações individuais. 

Não esperava voltar à Seleção, estou sendo muito sincero. Esperava fazer uma boa competição, mas não esperava um ano tão bom. É o resultado de um grupo amigo, que se doou e superou dificuldades, cresceu. Acho que podemos estar orgulhosos do trabalho que fizemos - disse o atacante.



Ricardo Oliveira também comentou as investigações da Justiça nos Estados Unidos, no Suíça e no Brasil contra dirigentes da Fifa e da CBF. O atacante afirmou que o futebol, por sua capacidade de unir povos, merecem bons dirigentes.

- É uma situação que tomou uma proporção a nível internacional, e isso é legal. Nós somos as estrelas que brilham dentro de campo. Para o bem do futebol, precisamos sim de pessoas que entendam que o futebol é um patrimônio do Brasil e do mundo. Precisamos de pessoas que se envolvam com o coração no futebol, porque o futebol é algo que consegue unir povos, línguas, pessoas. O futebol também precisa de pessoas de bem no comando.


Foi a terceira vez que Ricardo Oliveira foi artilheiro de uma competição com a camisa do Santos. Em 2003, quando o Peixe foi vice da Libertadores, foi o maior goleador da competição. Em 2015, foi artilheiro do Brasileirão e do Paulistão.

SporTV

Nenhum comentário: