No peito e na alma !

No peito e na alma !

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Ricardo Oliveira precisa de 4 gols para ser 'maior artilheiro' desde 2006


Atacante do Santos tem 20 gols e é artilheiro do Brasileiro 2015. Caso some mais quatro, será o maior na era dos pontos corridos com 20 equipes

Cercado de desconfiança, que inclusive lhe rendeu um contrato inicial de apenas quatro meses, Ricardo Oliveira desembarcou na Vila Belmiro no início de 2015 com a missão de substituir Leandro Damião, emprestado para o Cruzeiro. Agora, dez meses após sua chegada, e de ter se consagrado campeão e artilheiro do Campeonato Paulista, o atacante se aproxima de um recorde histórico no Campeonato Brasileiro.

O camisa nove do Peixe, que já soma 20 gols no torneio, terá cinco rodadas para fazer mais quatro gols e se tornar o maior artilheiro de uma única edição na era dos pontos corridos com 20 clubes. Atualmente, o recorde pertence à dupla Jonas e Borges. O primeiro somou 23 gols com a camisa do Grêmio em 2010, enquanto o segundo alcançou a marca pelo mesmo Santos em 2011.

Em 2005, quando o Brasileiro ainda era disputado por 22 equipes, Romário foi o artilheiro com 22 gols e foi quem chegou mais perto da marca atual. Com os 20 gols marcados, Ricardo Oliveira supera os números dos artilheiros de 2006 (Souza, com 17 gols), 2009 (Adriano e Diego Tardelli, com 19) e 2014 (Fred, com 18 gols), além de já ter igualado Josiel (2007) e o próprio Fred (2012).

De contrato renovado até 2017 e vivendo grande fase na carreira, o atacante terá pela frente Joinville, Flamengo, Coritiba, Vasco e Atlético-PR na sequência da competição para buscar os quatro gols que o afastam do recorde.

Porém, mesmo que consiga o feito e se torne o novo recordista, dificilmente o atleta do Santos conseguirá superar Dimba e Washington, artilheiros das duas primeiras edições dos pontos corridos. Em 2003, com 24 equipes, o atacante do Goiás somou 31 gols, enquanto o ‘Coração Valente’ alcançou 34 gols em 2004 com o mesmo número de jogos: 46.

FoxSports

Nenhum comentário: