No peito e na alma !

No peito e na alma !

terça-feira, 20 de outubro de 2015

O Santos de Dorival



O Santos de Dorival é um excelente time, mas já vou chegar dando uma voadora: Não tem nada de novo ou espetacular!!!

Eu adoro o Dorival, mas não confiava que ele, em tão pouco tempo, fosse mudar a cara do Santos dessa forma. Mas o que tem de revolucionário? O que tem de empolgante? O que tem de Guardiola nesse time?

Para responder isso, temos que equalizar os nossos pensamentos. Vamos lá então!!! Primeiro temos que entender que o que o time do Santos faz é o mínimo necessário possível para se jogar futebol hoje em dia. Certo?

O que nos leva ao seguinte pensamento: Se o Santos está jogando o mínimo necessário possível para se jogar futebol hoje – e está jogando lindamente e ganhando bem a maioria dos seus jogos – significa dizer que os outros times não estão jogando nada de futebol, certo?

Pois bem, ai chegamos a equalização de nossos pensamentos. A maioria dos clubes Brasileiros jogam algum tipo de futebol atrasado e de péssima qualidade. Isso é fato. O que os defasados, atrasados, orgulhosos e burros técnicos do nosso Brasil Varonil apresentam não serve nem para treinar time de pelada em Madagáscar. Junte a isso a jogadores preguiçosos e temos ai uma bela foto do cenário do nosso futebol nacional.

Só lembrar do 7 x 1 caso você não concorde comigo. Viu a Alemanha jogando? Jogadores em múltiplas funções, todos chegando a área adversária, finalizando, ocupando espaços, se desmarcando e pedindo bola. Todo mundo marca. Todo mundo ataca. Todos tem seu papel, mas tem inteligência e técnica para desempenhar outros papeis.

Voltamos então ao Santos de Dorival. Claro que o treinador tem a maior parte do mérito por essa belíssima campanha que o time faz. Acredito piamente que o técnico conseguiu convencer, na base da conversa e de treinos, que para sair da situação que o Santos se encontrava, antes da sua chegada, que o time precisava jogar coletivamente. Creio piamente também que meu Pastor Ricardo Oliveira e Lorde Renato foram os pilares dessa “lavagem cerebral” imposta pelo técnico.

Ambos jogaram muito tempo na Europa. Tempo o suficiente para verem o quanto o futebol daquele continente mudou. Espanha, Alemanha, Holanda e Inglaterra norteiam o que existe de melhor em termos de futebol. Quando os dois chegaram por lá não era assim que a banda tocava. Mas em 15 anos, o crescimento do futebol jogado lá deu um salto evolutivo astronômico.

Dessa forma, hoje, Geuvânio, Gabigol, Marquinhos Gabriel, Thiago Maia e Lucas Lima jogam para o time. Dorival deu o padrão. Indicou que Lucas Lima deveria receber a bola o mais longe possível da área que defende. Para isso, a saída de bola passa nos pés do experiente – e que não erra passes – Renato ou do sempre bom Thiago Maia. Claramente, Geuvânio e Gabigol, se mexem procurando espaços ou encostando nos que tem a bola. Ricardo Oliveira fica ali esperando uma enfiada de bola ou leva com ele dois zagueiros para bem longe da área. Abre assim espaço para os laterais.

Na hora de defender, o Santos de Dorival abafa a saída de bola adversária e, lá atrás, mantém duas linhas de quatro jogadores encurtando o campo de ataque adversário. Pelo o que andei lendo, isso é executado em todos – EU DISSE TODOS – treinamentos que Dorival passa. E não é executado só nos coletivos e sim em várias atividades – individuais ou coletivas – que o treinador comanda.

Repetição, padrão e organização tática. Tá ai o “segredo” desse time do Dorival. Só que, isso deveria ser padrão em QUALQUER clube de um país que já se vangloriou por ser o “País do Futebol”. Por isso, volto a dizer que o que o Santos faz, o que o Dorival faz, é o mínimo necessário possível para se jogar bola hoje em dia.

O Santos tem muitas dificuldades ainda. Não tem elenco por exemplo. Sai um titular e não tem ninguém no banco com futebol para suprir a necessidade. Bolas aéreas (amplamente utilizadas pelo Grêmio na derrota que sofremos) ainda é um sofrimento.

Mas em terra de cego, quem tem um olho é Rei. Por isso o Santos se destaca por coisas que deveriam fazer parte da cultura do nosso futebol desde as escolinhas.

Parabéns Dorival. Continue assim, a se especializar, a fazer intercâmbios. Fuja do óbvio, no passado de nosso futebol só se apegue ao fato de que somos um celeiro inesgotável de craques. Continue adaptado a sua tática a realidade do time e não o inverso.

Vamos pra cima deles, Santos!!!

Canelada.com

Nenhum comentário: