No peito e na alma !

No peito e na alma !

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Firme para o topo, Santos segura G4 e tem histórico a favor na Copa do BR


Há quatro rodadas entre os quatro primeiros do Brasileirão, time de Dorival Júnior oscila, mas mantém posto. Já na Copa do Brasil, vantagem é grande diante do rival São Paulo

O Santos precisou de paciência e inteligência tática para vencer o São Paulo por 3 a 1 e sair do Morumbi em vantagem nas semifinais da Copa do Brasil. O Santos também precisou de sangue frio e do talento do goleiro Vanderlei para segurar o Figueirense em Santa Catarina e conseguir se manter no G4 do Brasileirão. Mas entre tantos elementos objetivos e diretos, relacionados exclusivamente ao jogo, há um ingrediente que também não faltou para os comandados de Dorival Júnior nesta maratona de decisões. É a sorte.

O Santos está no G4 do Brasileirão desde o dia 4 de outubro, quando bateu o Fluminense por 3 a 1 na Vila Belmiro. Desde então, teve uma campanha de oscilações: uma vitória (Goiás), um empate (Figueirense) e uma derrota (Grêmio). A sorte neste aspecto é que há vários times próximos do G4, mas nenhum conseguiu uma trajetória sólida o suficiente para passar o Peixe na tabela de classificação. Assim, mesmo preservando peças e não vencendo mais como antes, o Santos segue como membro do G4.

Na Copa do Brasil, torneio em que Dorival tem 100% de aproveitamento pelo Santos, já que venceu Sport (uma vez), Corinthians (duas vezes), Figueirense (duas vezes) e São Paulo (uma vez), o apego é na parte histórica. O Peixe não perde um jogo por um placar que o eliminaria depois de amanhã desde junho de 2008. Na ocasião, o time dirigido por Cuca foi massacrado pelo Goiás dentro da Vila Belmiro, por 4 a 0, e seguiu nas últimas posições do Brasileirão que lutou até o fim contra o rebaixamento.

Desde então, o Santos sofreu três ou mais gols apenas 18 vezes – 3 a 1, que repetiria o placar da ida e levaria à decisão por pênaltis, ocorreu cinco vezes na Vila neste período. Para piorar – ou "melhorar" no caso do Santos –, o São Paulo não consegue um resultado como esse diante do Santos desde o Paulistão de 1992.

– O futebol prega peças. Não estamos enfrentando uma equipe qualquer e prefiro caminhar jogo a jogo. Vamos entrar jogando a nossa vida e não podemos bobear – diz o técnico Dorival Júnior, cauteloso.

Dorival tem 100% na Vila e 100% na Copa do Brasil. Além disso, a sorte e a história conspiram a favor. Mas, como diz o clichê, o jogo é jogado.


NO BRASILEIRÃO

Como chegou - Dorival Júnior assumiu o Peixe no início de julho, com o time em 17 lugar. Campanha de reação fez a equipe chegar ao G4 na 29 rodada, após cinco temporadas em total jejum.

Como se manteve - Apesar de oscilar nas últimas três rodadas, o Peixe contou com revezes de Palmeiras, São Paulo e Flamengo para seguir entre os quatro melhores.

Como ficar? - Restam seis jogos. Palmeiras, Flamengo e Atlético-PR em casa, Joinville, Coritiba e Vasco atuando como visitante nas rodadas finais do torneio.

NA COPA DO BRASIL

Como chegou - Santos eliminou Maringá e Londrina ainda com Marcelo Fernandes, mas perdeu fora para o Sport na terceira fase. Neste intervalo chegou Dorival.

Como se manteve - Com o novo técnico, Peixe despachou o Sport na Vila e bateu no rival Corinthians e no Figueirense com vitórias em casa e fora. Nas semifinais, superou o São Paulo na ida.

Como seguir? - Dependendo do número de gols, pode perder por até dois de diferença na Vila Belmiro, onde não perdeu com Dorival. Placar de 3 a 1 leva aos pênaltis.

Lancenet

Nenhum comentário: