No peito e na alma !

No peito e na alma !

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Dorival não sabe se “nasceu para o Santos” e admite prazer especial



Dorival Júnior viveu o melhor momento de sua carreira justamente no Santos, em 2010, quando comandou uma equipe que enchia os olhos de qualquer amante do futebol. Com Neymar, Ganso e Robinho, o técnico conquistou um Paulista e uma Copa do Brasil, antes de deixar o clube de forma conturbada. Agora, em 2015, o treinador retorna em baixa, depois de trabalhos sem sucesso por Palmeiras, Vasco, Fluminense e Flamengo. Além disso, pega a equipe dentro da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

Porém, a reação que o torcedor tanto sonhava, mas parecia impossível, aconteceu sob a batuta de Dorival Júnior. Em 15 jogos, o treinador levou o Peixe a 11 vitórias, três empates e foi derrotado apenas uma vez. Assim, colocou o time da Vila Belmiro na briga pelo G4 e nas quartas de final da Copa do Brasil. Questionado se nasceu para trabalhar no Santos Futebol Clube, o treinador riu e ficou sem jeito, mas admitiu que há algo especial na Baixada Santista.

“Não sei. Difícil a gente falar algo. Eu me sinto bem aqui dentro. É a sequência de um trabalho interrompido. Fico contente pelos primeiros resultados, ainda que não tenha sido nada. As conquistas complementam. O que me dá prazer é ver o time jogando bem, como foi da outra vez (em 2010). Foi complementado pelas conquistas que tivemos”, comentou, antes de ressaltar sua principal semelhança com o torcedor santista: o DNA ofensivo.

“Esse trabalho que me dá prazer. Atingimos objetivos, importantes, mas não preenche tanto quanto isso (jogar bem). São jogadores que superam desconfianças. Precisamos pensar seriamente nisso (calendário). Não é porque ganha que não se pode salientar isso. Mas dá prazer ver o Santos jogando com confiança. Nesse caminho, esperamos levar eles, e que o prazer esteja vivo na memória santista”, explicou.

A vitória por 3 a 0 em cima do São Paulo nesta quarta-feira deixou o treinador empolgado com a perspectiva de sua equipe para a temporada, que começa a chegar em sua reta final, mas não o fez desmerecer o trabalho de Marcelo Fernandes e Serginho Chulapa, que levou o Peixe ao título do Campeonato Paulista, mas enfrentaram um longo jejum de vitórias no Brasileiro. Dorival deixa claro que ninguém pode ter certeza de que as coisas seriam diferente, caso ele tivesse chego mais cedo.

“Ninguém pode afirmar isso. Todo time passa por um momento. Poderia ter sido comigo. Tudo vai acontecer no momento certo. O Santos está encontrando o caminho. Não podemos descartar e tirar o valor do trabalho iniciado, foi o que nos deu essa possibilidade de se recuperar. O início não foi bom, tivemos jogadores fora, Marcelo (Fernandes) penou com a equipe. Estamos encontrando o caminho”, avisou.

Gazeta Esportiva

Nenhum comentário: