No peito e na alma !

No peito e na alma !

domingo, 30 de agosto de 2015

Ricardo Oliveira faz golaço a 90 km/h e Santos complica o Cruzeiro




Um golaço de Ricardo Oliveira definiu a partida entre Cruzeiro e Santos, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. O artilheiro chegou a 13 gols no certamente com uma finalização de longa distância, sem chances para Fábio. O resultado de 1 a 0 mantém a boa fase da equipe santista, que chegou a figurar na zona de rebaixamento e já vê o G4 muito próximo, apenas quatro pontos atrás do Palmeiras, o quarto colocado.

O gol de Ricardo Oliveira foi em um chute a 90 km/h de cerca de 30 metros de distância (segundo dados do Sportv).

Enquanto o Santos embala na temporada, o Cruzeiro afunda cada vez mais. Já são seis partidas sem vitórias, por Copa do Brasil e Brasileirão. Com apenas 1 ponto conquistado nos últimos 15 disputados, a equipe celeste viu as equipes da "zona da confusão", como descreve o técnico Vanderlei Luxemburgo, se aproximarem. São 22 pontos, mesma pontuação de Goiás e Coritiba. Os critérios de desempate mantêm o time mineiro fora das quatro últimas colocações.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 0 X 1 SANTOS

Data: 30/08/2015 (domingo)
Horário: 18h30 (de Brasília)
Motivo: 21ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 8.271 pagantes
Renda: R$ 252.400,00
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (GO/Fifa) e Ivan Carlos Bohn (PR)
Cartões amarelos: Marinho e Arrascaeta (CRU) Ricardo Oliveira e Vanderlei (SAN)
Cartão vermelho: Fabrício (CRU)
Gols: Ricardo Oliveira aos 42 min do primeiro tempo;

CRUZEIRO
Fábio; Ceará, Manoel, Bruno Rodrigo e Fabrício; Willians, Henrique (Arrascaeta, aos 24 do 2º), Marcos Vinícius (Gabriel Xavier, no intervalo), Alisson e Marinho; Vinícius Araújo (Allano, no intervalo).
Treinador: Vanderlei Luxemburgo

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia (Lucas Otávio, aos 32 do 2º), Renato, Marquinhos Gabriel e Lucas Lima (Léo Cittadini, aos 46 do 2º); Neto Berola (Leandro, aos 10 do 2º) e Ricardo Oliveira.
Treinador: Dorival Júnior

FASES DO JOGO
1º TempoPressionado pela aproximação das equipes da zona do rebaixamento, o Cruzeiro adotou uma postura ofensiva para sair da fase ruim. O time de Vanderlei Luxemburgo tomou conta das principais ações do jogo e até chegou a marcar um gol com Vinícius Araújo, aos 16 minutos. Tento invalidado corretamente, já que o atacante celeste estava em impedimento. Marinho teve chance de finalizar em boas condições duas vezes, aos 35 e aos 41, mas sempre sem pontaria. Bem diferente fez Ricardo Oliveira, no minuto seguinte, com uma golaço da intermediária, sem chances para Fábio. Abatido, o Cruzeiro passou a dar mais espaços para o Santos, que quase ampliou, com Marquihos Gabriel, aos 47 minutos. Mas o meia chutou para fora.

2º Tempo
Com duas mudanças no intervalo, o técnico Vanderlei Luxemburgo tentou deixar o Cruzeiro ainda mais ofensivo. No entanto a equipe produziu menos do que fez na etapa inicial. Nas poucas vezes em que conseguiu criar algo, nas tentativas de Alisson e Arrascaeta, o goleiro Vanderlei foi muito bem. Optando pelos contra-ataques, o Santos não conseguiu levar perigo ao gol de Fábio. A expulsão de Fabrício não diminuiu a pressão do Cruzeiro nos minutos finais, mas facilitou bastante para o Santos.

DESTAQUES

Pedido atendido
Os dois jogadores mais criticados pela torcida do Cruzeiro nas últimas partidas foram o zagueiro Paulo André e o volante Charles. Depois de protestos e muitas vaias, Luxa atendeu aos pedidos dos torcedores e ambos foram barrados no duelo com o Santos.

Chegou a dez
Com o triunfo sobre o Cruzeiro, o Santos chegou a dez partidas de invencibilidade na temporada. Entre Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil são sete vitórias e três empates.

Das vaias ao incentivo
Com o resultado negativo, a torcida do Cruzeiro resolveu criticar o técnico Vanderlei Luxemburgo, pedir raça aos jogadores e até a vaiar alguns jogadores. Como o panorama da partida não mudou, os cruzeirenses mudaram a postura e passaram a incentivar a equipe. Os minutos finais foram de pressão com a torcida jogando junto.

Obrigado, Walter
O Cruzeiro só não terminou a rodada dentro da zona de rebaixamento por causa da derrota do Goiás para o Atlético-PR. O jogo disputado no mesmo horário, em Curitiba, terminou com triunfo rubro-negro por 3 a 0, com dois gols de Walter. O atacante passou pela Toca da Raposa, em 2012.

MELHORES
Ricardo Oliveira, SantosÉ verdade que o artilheiro do Campeonato Brasileiro já teve atuações melhores nesta competição. Mas numa partida com poucos destaques individuais, foi a qualidade técnica do atacante que fez a diferença. O chute de longa distância de Ricardo Oliveira determinou o resultado da partida.

PIORES
Henrique, Cruzeiro
O volante do Cruzeiro não atravessa um bom momento. Facilmente batido pelos adversários, com erros no domínio de bola e no passe.

Fabrício, Cruzeiro
O lateral do Cruzeiro pouco produziu no ataque e complicou de vez qualquer chance de reação da equipe, ao conseguir levar dois cartões amarelos em menos de 30 segundos. Primeiro por reclamação e depois por falta em Marquinhos Gabriel, aos 40 minutos do segundo.

UOL esporte

Nenhum comentário: