No peito e na alma !

No peito e na alma !

domingo, 24 de maio de 2015

Apodi resolve jogo quente com golaço e Santos mantém sina fora de casa



Pouco inspirado, o Santos sofreu sua primeira derrota pelo Campeonato Brasileiro de 2015 neste domingo, na Arena Condá, contra a Chapecoense. Depois de uma vitória convincente para cima do Cruzeiro na última rodada, o Peixe viu a bola queimar no pé fora de casa e perdeu por 1 a 0, com gol marcado pelo ex-santista Apodi. Um golaço, aliás!

Em jogo com onze cartões amarelos, reclamações de todo lado, briguinhas e até expulsão de técnico, a única coisa que faltou para o Santos foi eficiência ofensiva. Foram muitos cruzamentos sem ninguém para aproveitar, mas pouca velocidade com a bola no chão. No fim, a Chapecoense segurou o resultado aberto aos 20 do primeiro tempo, viu o goleiro Danilo brilhar e celebrou mais três pontos.

Em Chapecó, dois jogos e duas vitórias dos catarinenses. Já o Santos entrou em campo como visitante duas vezes e levou só um ponto... A próxima missão da Chape é vencer a primeira fora de casa, sábado, contra a Ponte Preta. No dia seguinte, o Peixe recebe o Sport para tentar se manter bem pelo menos na Vila Belmiro.

Neste domingo, a verdade é que o Santos errou quase tudo nos primeiros minutos de bola rolando. Nada dava certo. Robinho tentou, abriu espaço, mas na hora da tabela Chiquinho, Geuvânio e Leandrinho não ajudaram. Lucas Lima também tentou, mas sofreu do mesmo mal. A saída de bola era o maior drama, porque a Chapecoense tinha a bola no pé, perdia, e via um rival totalmente sem repertório ofensivo.

A história do jogo começou a se desenhar aos 16 minutos, quando Valencia (que não vinha nada bem) fez uma falta e conseguiu se lesionar no mesmo lance. Ficou caído no gramado e viu a Chape armar um contra-ataque que quase deu em gol. Irritado pela falta de fair-play, o técnico santista Marcelo Fernandes foi expulso e deixou seu time com a bola queimando no pé e a cabeça quente.

A Chape só precisou de quatro minutinhos para aproveitar. E empatou de um jeito difícil de engolir para o santista... com gol de Apodi, uma espécie de Cicinho de outros tempos, tamanha a antipatia que despertou no torcedor durante sua passagem pela Vila Belmiro, em 2008. Pois foi Apodi quem fintou o queridinho David Braz e bateu de pé esquerdo, do meio da rua. Vladimir foi lento, não chegou, e a Chapecoense inaugurou o marcador. A "lei do ex" não falhou na Arena Condá.

Depois disso o Peixe teve algumas jogadas ofensivas, mas nada que o aproximasse do empate. Robinho e Lucas Lima, como sempre, ditaram o ritmo do ataque, mas faltava inspiração em Geuvânio e pontaria em Ricardo Oliveira. Não ia pra frente. Como no segundo tempo não tinha como ficar pior, o Santos decidiu agredir mais a Chapecoense e sentiu que dava para ganhar. Até porque o adversário não era nenhum primor técnico. Longe disso.

O Santos cresceu. Com a saída do apático Leandrinho e a entrada de Rafael Longuine, que enfim estreou com a camisa 17, o time de Serginho Chulapa arriscou mais. Robinho perdeu um gol incrível no meio do segundo tempo. Aliás, o goleiro Danilo fez uma defesa brilhante para salvar o valente time da Chapecoense. Depois, Ricardo Oliveira ainda bateu bem, mas pela linha de fundo do gol do time catarinense, que então se fechou e trabalhou firme para não merecer a vitória. Mas futebol... sabe como é... Deu Chape!

FICHA TÉCNICA
CHAPECOENSE 1 x 0 SANTOS

Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Data/Hora: 24 de maio de 2015, às 16h
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Bruno Raphael Pires (GO) e José Nascimento (DF)
Cartões amarelos: Rafael Lima, Vilson, Dener, Elicarlos, Gil e Hyoran (Chapecoense), Chiquinho, Lucas Otávio, Geuvânio, Lucas Lima, Robinho e Ricardo Oliveira (Santos)
Público/renda: 6.374 pagantes/R$ 101.360,00

GOL: Apodi, aos 20/1ºT (1-0)

CHAPECOENSE: Danilo, Apodi, Rafael Lima, Vilson e Dener; Bruno Silva, Elicarlos, Gil e Camilo (Hyoran, aos 37/2ºT); Ananias (Wagner, aos 25/2ºT) e Roger (Edmilson, intervalo). Técnico: Vinicius Eutrópio.

SANTOS: Vladimir, Victor Ferraz, David Braz, Werley e Chiquinho; Valencia (Lucas Otávio, aos 16/1ºT), Leandrinho (Rafael Longuine, aos ?/2ºT) e Lucas Lima; Geuvânio, Robinho e Ricardo Oliveira. Técnico: Marcelo Fernandes.

Lancenet

Nenhum comentário: