No peito e na alma !

No peito e na alma !

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Jogadores, torcida e... lucro! Por que o Santos escolheu a Vila na decisão

Peixe vai contra a “super renda” e usa números, confiança da torcida, pedidos e a mística da Vila para decidir o Paulista em casa. Modesto pensa em prêmio de campeão

Enquanto os rivais da capital paulista esbanjam modernidade com suas novas arenas, o Santos conserva a tradição da Vila Belmiro e não hesita em se orgulhar disso. Mesmo com “modestos” 16 mil lugares, os torcedores e jogadores pediram para disputarem novamente uma final em casa. E foram atendidos.

O presidente do Peixe, Modesto Roma Júnior, até pensou em faturar mais jogando em outro estádio, mas ouviu as “preces”, se contentou com uma renda de pouco mais de R$ 700 mil e pensou no principal: título.

O que motivou o mandatário a bater o pé para jogar na verdadeira casa do Alvinegro foram vários fatores, a começar pelos atletas.

– É a nossa casa, estamos adaptados jogar lá, dá mais confiança, a torcida fica pertinho. Quero jogar a finalíssima na Vila – disse Geuvânio ontem, ao programa Seleção Sportv.

A certeza que faz os defensores do manto santista acreditarem que o estádio estará cheio foi o último público em casa, de 13.559 pessoas. A história também faz os representantes do Peixe terem pensamentos positivos de que o caldeirão “pressiona” o adversário. Das últimas decisões de Paulista em casa, o Santos só perdeu uma, para o Corinthians, em 2013. Em 2011, também em Urbano Caldeira, o Peixe levantou a taça em seu domínio.

– Temos de ouvir todos. O sócio, o torcedor, o jogador e a diretoria. Decidimos pelo melhor para o Santos – declarou Modesto Roma.

Desde que foi eleito presidente do clube, Roma não sabe o que é perder na Vila Belmiro, já que a última derrota foi ainda em 2014, no dia 16 de novembro, para o Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro.

Em clássicos, o último revés foi em setembro do ano passado, com a vitória do Corinthians por 1 a 0. Em sua memória de torcedor, Modesto tem muitas outras comemorações em casa, como o primeiro jogo da final da Copa do Brasil de 2010, a Copa Conmebol de 1998, entre outros. Fato é que, para superar a Vila Belmiro, o Verdão terá que se superar como nunca em 2015.

Confira o bate-bola com Modesto Roma Júnior, presidente do Santos:

Quanto pesou o pedido dos jogadores para que o Santos decidisse jogar a final na Vila Belmiro?
O peso médio deles deve ser de uns 80 kg. Juntos, deve dar quase uma tonelada, viu? Mas é pesado, os jogadores deram sua opinião, seu ponto de vista. A torcida deu seu ponto de vista e decidimos jogar em casa.

Teme algum prejuízo financeiro por jogar na Vila, que é menor?
Fizemos o cálculo e chegamos à conclusão de que, financeiramente, é melhor jogar na Vila Belmiro. Tudo isso (suposta vantagem técnica do Santos em jogar na Vila) é importante, mas há também a questão da premiação para o time campeão. Então financeiramente também é um bom negócio para o Santos.

Te surpreende o fato de Santos e Palmeiras terem chego à final?
Sempre entramos para ganhar o título. E estamos aqui como dizíamos no início do campeonato.

E o fato do time ter chego na final no início do seu mandato?
Se eu não imaginasse que seria possível, não teria assumido a presidência. E não foi tão rápido, né? Foram quatro meses (risos).

Acredita em favoritismo?
Santos e Palmeiras são duas grandes equipes. Os dois times estão prontos para decidir. São dois elencos muito fortes, e são muito bem comandados por Marcelo Fernandes e Oswaldo.


Lancenet

Nenhum comentário: