No peito e na alma !

No peito e na alma !

quinta-feira, 26 de março de 2015

Sem Robinho, Santos perde para a Ponte e dá adeus a série invicta em 2015


O Santos perdeu para a Ponte Preta por 3 a 1 nesta quinta-feira, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, em jogo válido pela 12ª rodada do Campeonato Paulista. Com a derrota, a equipe santista perdeu também a invencibilidade na temporada e a melhor campanha do Estadual para o Corinthians.

O time da Vila Belmiro, que não era derrotado há 12 jogos – 11 pelo Paulista e um pela Copa do Brasil – agora ficou com a segunda melhor campanha da competição. O Santos permanece com 29 pontos, três a menos que o arquirrival.

O Santos não contou com a sua principal estrela – o atacante Robinho, que foi convocado por Dunga para defender a seleção brasileira nos amistosos contra França e Chile. Gabigol, que substituiu o ídolo santista, foi o autor do único gol do alvinegro praiano na partida. Biro-Biro, Bruno Silva e Rildo marcaram para a Ponte.

Apesar da derrota, o Santos, já classificado para a próxima fase, se mantém na primeira colocação do grupo D, com 29 pontos ganhos. Já a Ponte Preta permanece na vice-liderança do grupo B, com 24 pontos, cinco pontos a mais que o Audax, terceiro colocado.

Na próxima rodada, o Santos enfrenta o São Bento, domingo, às 18h30 (de Brasília), na Vila Belmiro. Já a Ponte Preta encara o XV de Piracicaba no mesmo dia e no mesmo horário, em Piracicaba.

Fases do jogo: A Ponte Preta dominou as ações do jogo desde o início. O Santos voltou a apresentar dificuldades para ligar a defesa e o ataque. O time da casa tirou proveito da deficiência santista e dominou o meio-campo, atuando com três volantes e Renato Cajá, na armação das jogadas.

Além disso, a Ponte causava muito perigo com a velocidade de seu ataque – formado por Rildo e Biro-Biro, que abriu o placar com um belo gol aos 28 minutos após lançamento de Renato Cajá. Na primeira etapa, o Santos só arriscou com dois chutes, sem perigo, de Ricardo Oliveira, e um de Gabigol, que driblou o goleiro, mas finalizou sem força.

A Ponte, por sua vez, marcou o segundo gol aos 36 minutos. O volante Bruno Silva aproveitou rebote do goleiro Vanderlei em chute de Cajá e fez o gol de dentro da pequena área.

Sem Robinho, o ataque santista ficou mais lento e menos dedicado taticamente. Gabriel Barbosa e Geuvânio demonstraram dificuldades na marcação. Os zagueiros e laterais da Ponte saíam jogando com facilidade. A dupla ainda errou muitos passes e perdeu muitas bolas no ataque. Já Ricardo Oliveira abusava foi bastante "fominha" em muitas jogadas e se precipitou em algumas finalizações.

Na segunda etapa, Gabigol diminuiu para o Santos. O goleiro da Ponte fez linda defesa em cabeçada de Ricardo Oliveira, mas a bola sobrou para Victor Ferraz, que cruzou rasteiro para o camisa 10 marcar o gol. No entanto, a equipe santista sequer conseguiu pressionar e sofreu o terceiro gol em chute de Rildo de fora da área. Sem força para reagir, o alvinegro praiano ainda perdeu o volante Valencia e o lateral Cicinho, expulsos, e deixou Campinas com a primeira derrota no ano.

O melhor: Renato Cajá – O meia teve participação direta em todos os gols da Ponte Preta e se destacou na armação das jogadas.

O pior: Geuvânio – Mais uma vez apagado. Não finalizou, não ajudou na marcação e errou muitos passes. 

Toque dos técnicos: Guto Ferreira mudou o esquema da Ponte Preta. Ele deixou o 4-2-3-1 e entrou em campo no 4-3-1-2. Com isso, a Ponte ganhou o meio-campo e ainda ficou mais veloz no ataque – formado por Rildo e Biro-Biro.

Chave do jogo: Guto Ferreira observou que o Santos é um dos poucos times do Brasil que utiliza os volantes para fazer a cobertura dos laterais no esquema 4-2-3-1. Por conta disso, o treinador liberou os seus volantes e chegou com facilidade a área do adversário pelo meio-campo.

Para lembrar:

Vingança: Rildo, que defendeu o Santos por empréstimo no ano passado e foi devolvido, demonstrou muita fome de bola no jogo. O atacante correu bastante e ainda marcou o terceiro gol da Ponte.

Muito sangue: O goleiro Vanderlei sofreu uma joelha no rosto em dividida de bola com Rildo e levou a pior. O camisa 1 do Santos sangrou bastante dentro de campo e teve que ser substituído por Vladimir.

Fominha: Ricardo Oliveira abusou das finalizações. O camisa 9 poderia tocar a bola em diversas oportunidades, mas se precipitava em chutar ao gol.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA 3 X 1 SANTOS

Data: 26/03/2015, quinta-feira
Horário: 21h (horário de Brasília)
Local: Estádio Moisés Lucarelli
Árbitro: Luiz Vanderlei Martinucho
Assistentes: Gustavo Rodrigues de Oliveira e Renata Ruel Xavier de Alberto Roletto Macedo

Gols: Biro-Biro aos 28 minutos, Bruno Silva aos 36 minutos do primeiro tempo, e Rildo aos cinco minutos do segundo tempo (Ponte Preta); Gabigol aos dois minutos do segundo tempo (Santos).

Cartões amarelos: Jeferson, Fernando Bob e Rildo (Ponte Preta); Cicinho, Elano e Valencia (Santos)

Cartões vermelhos: Valencia e Cicinho (Santos)

Ponte Preta: João Carlos, Rodinei, Tiago Alves, Pablo e Jeferson; Josimar, Bruno Silva, Fernando Bob e Renato Cajá (Adrianinho); Biro-Biro e Rildo (Roni).
Técnico: Guto Ferreira

Santos: Vanderlei (Vladmir), Cicinho, Werley, David Braz e Vitor Ferraz; Valencia, Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Thiago Ribeiro), Gabigol (Elano) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Marcelo Fernandes

Uol Esporte

Nenhum comentário: