No peito e na alma !

No peito e na alma !

segunda-feira, 30 de março de 2015

Sem acordo, Santos e Leandro Damião voltam ao tribunal em maio


Audiência realizada na manhã desta segunda, na 4ª Vara do Trabalho de Santos, não teve decisão. Clube propõe solução amigável e aguarda resposta do jogador

A disputa entre Santos e Leandro Damião na Justiça continua. A audiência realizada na manhã desta segunda-feira, na 4ª Vara do Trabalho de Santos, terminou sem uma decisão do juiz Persio Luis Teixeira de Carvalho. Um novo julgamento entre o clube e o jogador será realizado no dia 29 de maio.

A primeira audiência do caso durou cerca de 15 minutos e não teve a presença de jornalistas. O Peixe, que não tem interesse em perder Damião, propôs um acordo, mas o centroavante, pelo menos por enquanto, não aceitou. Por isso, o juiz responsável pelo caso optou por adiar a resolução para o fim de maio. 

Atualmente no Cruzeiro, o atleta compareceu ao Tribunal acompanhado de seus advogados e de seu empresário, Vinicius Prates. Ele deixou a 4ª Vara do Trabalho de Santos sem dar entrevistas. Enquanto não houver decisão da Justiça, o contrato de Leandro Damião com o Peixe, que tem mais quatro anos de duração, segue válido.


– Nada foi resolvido nesta segunda-feira. O atleta ainda pertence ao quadro do Santos e, se Deus quiser, ainda vai pertencer por muito tempo. O Santos juntou a defesa e o juiz marcou a audiência de julgamento. Hoje era de instrução. Não foi possível fazer acordo, pois os advogados do atleta, por enquanto, não aceitaram – explicou José Ricardo Tremura, advogado do Santos.

O centroavante foi emprestado ao time de Minas Gerais no início desta temporada. Logo depois, ingressou uma ação contra o Alvinegro alegando que não recebeu os salários de outubro a dezembro de 2014. A expectativa dos advogados de Damião é positiva: eles acreditam que conseguirão romper o vínculo com os santistas.

O julgamento marcado para o dia 29 de maio também pode, porém, não ser decisiva, já que tanto o clube como o jogador poderão contestar a decisão do juiz. 

Caso a Justiça acolha os argumentos do atacante e o vínculo seja rompido, a dívida do Alvinegro com a Doyen Sports, empresa que financiou os 13 milhões de euros (cerca de R$ 42 milhões) para o clube comprá-lo, permanecerá. O Santos calcula um investimento total de R$ 88 milhões, somados o montante para sua contratação, salários por cinco anos e encargos. Se perder o jogador, o Peixe não poderá recuperar esses valores em uma possível venda futura.

Globoesporte.com

Nenhum comentário: