No peito e na alma !

No peito e na alma !

terça-feira, 17 de março de 2015

Rumo ao gol 250, Ricardo Oliveira reencontra Copa do BR após 13 anos


Atacante jogou a competição pela última vez em 2002, ainda pela Portuguesa. O camisa 9 do Santos está a um gol de chegar a 250 tentos em sua carreira

Enquanto as atenções estavam voltadas para a Copa do Mundo de 2002, Ricardo Oliveira estava preocupado mesmo era com a Copa do Brasil, quando defendia a Portuguesa. Apesar de a Lusa ter caído cedo, nas oitavas de final, o camisa 9 deixou sua marca com quatro gols. Daí para frente ele passou a disputar campeonatos como Libertadores e Liga dos Campeões da Ásia e não voltou mais ao principal torneio mata-mata do país.

Nesta terça-feira, o centroavante voltará a se preocupar com a Copa do Brasil, 13 anos depois, na estreia do Santos na competição, diante do Londrina, no Estádio do Café, às 19h30.

Mesmo com o passar do tempo e com os títulos conquistados, o objetivo continua o mesmo: balançar as redes. E se a sequência de gols se mantiver (foram três tentos nos últimos três jogos, todos pelo Paulista), o camisa 9 chegará ao seu gol de número 250 na carreira. Falta apenas um para atingir a marca.

– A Copa do Brasil é muito legal de disputar, espero começar bem e que o Santos faça o melhor possível para buscar o título – disse, ao LANCE!.

Após conquistar o elenco do Peixe e até a diretoria (que já procurou seus representantes para prolongar o contrato), graças à sua liderança, Ricardo deixa a euforia para os torcedores do Peixe, que ainda deliram com o gol da vitória sobre o Palmeiras, marcado de cavadinha.

O que norteia Ricardo Oliveira é a mesma fé que prega fora de campo, como pastor. Otimista de que um dia chegará ao gol 300, já pensa até em comemoração se marcar.

– Seria muito legal fazer uma ação social! Vou pensar nisso!

Se o “ditado” criado pela torcida santista valer na prática, a marca dos 250 gols será atingida nesta terça. Afinal, com Ricardo Oliveira em campo, não existe placar em branco.

Lancenet

Nenhum comentário: